auravide auravide

SILÊNCIO

por Marian Ma Dayamayi - Marta Magalhães

Publicado dia 18/5/2008 em Espiritualidade

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Exercitar o silêncio é deveras difícil, não é mesmo?

Muitos de nós falamos às vezes de forma descontrolada e impensada, deixando que os nossos sentimentos, que nem sempre são positivos, se materializem. Quando fazemos isso, sem querer estamos dando força a eles, tornando-os mais intensos e difíceis de serem resolvidos.

A maioria das pessoas fala sem nenhuma consciência, não tem paciência para ouvir o que os outros têm a dizer, aliás, não sabe escutar nem o próprio coração, pois como o Eu Superior não passa a mão na cabeça, geralmente as suas respostas são difíceis de aceitar. Gostam de ouvir apenas que estão sempre com a razão, que são perfeitos, que são vítimas, etc. e tal. A verdade é que enquanto não mergulharmos no silêncio estaremos sempre alimentando a nossa mente egóica e imatura que teima em se impor, não apenas a nós mesmos, mas aos outros como uma forma de se afirmar, misturando verdades e mentiras e tornando a fala apenas um espelho da personalidade e não a sabedoria interior que sempre partilha o conhecimento eterno.

Precisamos entender que somos silêncio consciente em nossa mônada, espelho do Todo sapiente; somos o Silêncio Cósmico, eloqüência do Sagrado. O contato com esse silêncio abre o nosso coração e nos dá a constatação de que nada pode ser acrescentado, que no nosso âmago estão todas as respostas de que precisamos para seguir em frente e sermos banhados pela graça. Este é o despertar cósmico e cura para todo o sofrimento.

O trabalho da meditação Soluz foca sempre a necessidade de estarmos em contato profundo com o nosso Eu através da meditação, do Silêncio. A meditação no silêncio nos torna mais atentos e treinados para que quando o nosso ego tentar nos afastar do nosso centro pacífico, ele seja imediatamente identificado e pesquisado com profundidade e seriedade antes de se exprimir na fala. Não podemos ser dependentes da experiência interna do outro; precisamos fazer as nossas próprias descobertas, pois enquanto formos escravos da nossa mente agitada não seremos donos do nosso próprio nariz, seremos sempre subordinados às influências externas.

A troca de informações teóricas é importante apenas para confirmar o que o nosso Eu nos diz, pois a verdadeira sabedoria está no Silêncio, na União com o Todo. Aprendamos, então, a silenciar a mente e a ouvir o nosso SAGRADO EU.

Márian

Texto revisado por Cris




Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 33

foto-autor
Sobre o Autor: Marian Ma Dayamayi - Marta Magalhães   
Marian Ma Dayamayi é Professora de Meditação e Terapeuta Holística. Oferece Satsangs, Retiros Espirituais e Oficinas de Mandalas. Atendimentos Individuais presenciais e online. Informações (31) 98801-7838.
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Treinando a não-mente
artigo Horário
artigo Ativação dos sentidos interiores
artigo Amigos extrafísicos

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa