auravide auravide

Simplicidade no Natal

por Claudia Gelernter

Publicado dia 20/12/2008 em Espiritualidade

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


"É por isso que, emocionados, recordando-te a manjedoura, repetimos em prece:
- Salve, Cristo! Os que te aspiram a conquistar desde agora, em si mesmos, a luz do teu reino e a força de tua paz, te glorificam e te saúdam!”
Emmanuel


Meus amigos,
Mais um ano está chegando ao final.

Que correria nesta época, não é mesmo? O trânsito fica atrapalhado, as lojas repletas de pessoas, os compromissos atrasados... E com isso a gente nem se dá conta de que, em verdade, seria muito melhor se nesses momentos nos mantivéssemos mais tranqüilos, nos preparando para festejar a noite tão especial, sem tanto afobamento, sem tantas complicações e, por que não dizer, sem tantas futilidades.

Digo isso porque Jesus nos enviou uma mensagem de simplicidade e, no entanto, corremos pelas ruas em busca de artefatos importados, presentes elaborados, comidas sofisticadas. Então, muitas vezes gastamos mais do que deveríamos, iniciamos um novo ano endividados e sem tanto tempo para as devidas reflexões que a data nos convida a realizar.

Não quero com isso dizer que aqueles que podem fazer uma festa com pompa estão errados. Não é isso. Mas fico me perguntando se é mesmo saudável seguirmos a moda ditada pela mídia que nos convoca a um Papai Noel recheado, mesas maravilhosas e muita bebida alcoólica para os brindes, quando, na verdade, Jesus (o aniversariante) exemplificou coisas tão diferentes.

Faço um convite: vamos recordar a primeira e a última refeições que Jesus fez quando esteve conosco?

A primeira, maior expressão de amor entre os seres, ele a faz retirando da mãezinha querida o alimento necessário. Sem nada mais, apenas o leite sagrado. Aquele que todas as mães podem fornecer aos seus filhos, sob a graça Divina. O local do jantar? Um estábulo, entre animais de certa localidade, em Belém.

Relembremos agora sua última refeição. Aos 33 anos de idade, entre seus doze companheiros de caminhada, sentou-se à beira de uma mesa simples, em Jerusalém, comemorando a memorável passagem dos Judeus (ex-escravos no Egito) para a Terra Prometida. Nessa ocasião partiu um singelo pão ázimo, refletindo sobre os antigos patrícios que fugiram rapidamente do país, sem tempo para carregarem fermento; ofertou aos amigos uma erva amarga em sinal de respeito aos antepassados que sofreram durante quarenta anos no deserto; dividiu um ovo que representava a vida daquele povo que renascia em liberdade; retirou três gotas de vinho da taça, lamentando pela vida das crianças egípcias que pereceram naquele episódio e lavou os pés dos companheiros, alertando-os para as dificuldades que se sucederiam.

Jantares simples, ambos repletos de mensagem renovadora.

Num, a criança - fonte de vida e de esperança - que se alimenta na simplicidade do amor materno, não importando em nada o ambiente à sua volta. Bastava a presença daquela mãezinha amorosa, acariciando seus cabelos fininhos, ofertando o alimento ideal.
Noutro, novamente o ambiente simples e humildade nos gestos dAquele que veio até nós em missão sublime, convocando-nos ao Amor Universal.

E nós? Perseguimos o sonho de consumo, as toalhas bordadas com fios dourados, os cartões brilhantes.

Neste Natal busquemos o verdadeiro sentido desta data. Que tal um jantar feito com amor, a leitura de um trecho do Evangelho, uma prece em agradecimento a Jesus por Seu Amor Incondicional por todos nós, pelos amigos queridos que cruzaram nossos caminhos e pelos familiares que convivem conosco, nesta encarnação? E finalizar a comemoração com um brinde com água abençoada, pedindo a Deus que nos permita Sentí-Lo em todos os momentos de nossas vidas...

Que nesta noite especial consigamos ser simples. Mas, acima disso, que possamos compreender realmente que Natal - o nascimento de Jesus e conseqüentemente de Suas lições - precisa ser exercitado em todos os dias vindouros, através da busca pela vivência constante de Seus ensinamentos.

Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 8

foto-autor
Sobre o Autor: Claudia Gelernter   
Tanatóloga e Oradora Espírita, professora e coordenadora doutrinária
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Não se trata do que eu devo nem do que eu quero...
artigo Infeliz
artigo O sagrado
artigo Tenha uma vida afetiva abundante

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa