Home > Autoconhecimento

A Morte, uma das cartas mais temidas do Tarot


por Alvaro Domingues

A Morte




Não tem quem não se arrepie ao ver esta carta em sua mesa, quer como consulente quer como tarólogo.

Como sempre, convém lembrar a origem do Tarot tal como o conhecemos hoje. Ele veio da Idade Média, como a visão de mundo desta época e que de certa forma ainda perdura hoje no ocidente. Estávamos sob o domínio da Igreja, numa verdadeira era de terror, onde a concepção de morte era a seguinte: algo definitivo, sem volta e com um destino eterno para nossa alma que poderia ser o Céu, para os puros de coração ou o Inferno, para todos os outros. Havia ainda o purgatório, uma forma atenuada de Inferno para os não tão puros, um estado transitório antes de ir para o Céu, mas um local igualmente aterrorizante.

Algo muito bem retratado nos autos de Gil Vicente e na Divina Comédia, de Dante Alighieri.

Isso não mudou muito mesmo com o Espiritismo, que herdou a visão de castigo, não mais eterno, mas ainda assim carregado de sofrimento para muitos, com uma passagem pelo Umbral, um local bastante semelhante ao Inferno católico, e somou a ideia do Carma, vindo do Oriente. Renascemos basicamente pra expiar nossos “pecados”. Nem com o ateísmo militante, que ainda não encontrou uma maneira satisfatória de lidar com a morte e, mesmo que tivesse, ainda tem séculos de condicionamento a serem superados.


Inferno de Dante

Inferno de Dante


O Inferno de Dante tem servido de modelo para muitas representações do Inferno

A ideia da Morte também está ligada ao mito do fim do mundo, bastante cultivado no Ocidente, quer pela simbologia do Apocalipse (onde a morte é um dos cavaleiros) quer pela possibilidade real durante a Guerra Fria (onde Estados Unidos e União Soviética tinham arsenal atômico suficiente para destruir a Terra várias vezes) ou do terrorismo, de desastres ecológicos, e do apocalipse zumbi hoje em dia.
O Quarto Cavaleiro do Apocalipse



A Morte é o quarto cavaleiro do apocalipse

Vamos analisar carta a partir de algumas constatações. Em primeiro lugar, ambiguidade de gênero da carta. Em algumas culturas, a Morte é masculina (no próprio Apocalipse é um dos cavaleiros). Por exemplo, no desenho animado As Terríveis Aventuras de Billy e Mandy, A Morte é masculina, representada pelo personagem Puro Osso. Aliás este desenho e uma forma de lidar com a Morte com bastante humor.




Puro Osso, a morte como entidade masculina e... bem humorada.




Puro Osso, A Morte como entidade masculina e.. bem humorada.

Já Neil Gaiman representa a Morte como feminina, uma figura sedutora. Esta visão pode estar associada a duas coisas. A primeira é vem a visão cristã de que todo o mal, inclusive a morte, vem da mulher. A segunda é também uma associação de que a morte é sedutora, outra visão vinda da cultutra patriarcal, que vê na entrega à sedução à perda do eu e o papel sedutor seria da mulher, até na última sedução.


A Morte


A Morte de Niel Gaiman - Bela e Sedutora

Como contraponto, tem a visão dos índios Yaquis, trazida por Carlos Castaneda, de que morte seria uma conselheira. Alguém que esta sempre a seu lado à distância de um braço, capaz de tocá-lo a qualquer momento. Quando este toque for dado, sabemos que isto será definitivo e que esta é a única coisa definitiva. No mais tudo pode ser superado. Então, num momento de desespero, perguntamos a ela: “é agora?” E se ela tocá-lo, nos entregamos e deixamos a vida se esvair. Se não, sabemos que podemos superar o problema.

Em segundo lugar, não devemos esquecer que o Tarot deve ser visto de forma simbólica. A minha experiência como tarólogo e a de vários colegas é que A Morte raramente simboliza a morte física.

A nível simbólico o que é A Morte? Há duas coisas que ocorrem na morte: uma grande mudança e uma grande perda. Mesmo do ponte de vista ateu, a morte é uma mudança: num momento existimos e no outro não existimos mais. E mesmo do ponto de vista religioso, há uma grande perda, quer sejamos destinados ao céu, ao inferno ou a outra encarnação. Perdermos a vida como a conhecemos e o que temos após à morte é outra vida.

O Louco encontra-se com A Morte e descobre que sua vida teve um começo e terá um fim e que a cada passo que der, cada instante que viver esta á mais próximo de seu fim, mas que, apesar disso, deve seguir em frente. Aprendeu também que às vezes para progredir em seu caminho é preciso abrir mão de algo que preze muito.

Alvaro Domingues, Tarólogo e terapeuta holístico (consultas, marcar pelo telefone: (11) 9-9953 3886 (Vivo)


Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   Numerologia  
 
Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp


Autor: Alvaro Domingues   
Alvaro Alípio Lopes Domingues é oraculista, astrólogo e criador do Tarot Psiônico de Ação Pulsada©. 
E-mail: aaldomingues@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Publicado em 20/06/2014

Veja também
A Estesia que só o Coração Compreende...
Fobia de envelhecer, de ficar doente
Prática para Encontro de Alma
Os Analfabetos das Leis de Deus
A Paraplegia não imobiliza a Alma
A universalidade da vida como programática de cura

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.



Energias para Hoje
quarta-feira, 21 de agosto de 2019

energia
I-Ching: 19 – LIN – APROXIMAÇÃO
É tempo de alegria e esperança. Trabalhe, seja perseverante e deixe que os outros se aproximem, pois agir em conjunto será muito benéfico.


energia
Runas: Kenaz
Abertura de caminhos, iluminação e proteção.


21
Numerologia: Otimismo
Cante hoje, mesmo que seja intimamente. Encontre seu melhor sorriso e o mantenha. Ria mesmo das dificuldades será bem fácil superá-las hoje. Dê atenção especial a si mesmo e irradie alegria àqueles que encontra.




Horóscopo

Áries   Touro   Gêmeos   Câncer
 
Leão   Vírgem   Libra   Escorpião
 
Sagitário   Capricórnio   Aquário   Peixes





 
© Copyright 2000 - 2019 Somos Todos UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa