auravide auravide

O desgaste das brigas na relação a dois


Facebook   E-mail   Whatsapp

As brigas desgastam e corroem o relacionamento afetivo a curto, médio e longo prazo. Então por que será que elas continuam recorrentes, na imensa maioria das vezes?

Se brigar realmente resolvesse alguma questão afetiva, a situação de muitos casais já seria outra. No entanto, o que se nota constantemente são términos, hora abruptos, hora morosos.

O fato é que brigar não funciona e muitas vezes causa traumas complexos, para serem removidos na terapia convencional.

Muitas pessoas podem até pensar em desistir desta área e focar no trabalho, tentando tirar o foco do relacionamento para evitar o sofrimento.

Mas, infelizmente, lamento informar, que isto também não funciona.

O máximo que a pessoa consegue é se tornar um workaholic, ou seja, adquire o vício nocivo pelo excesso de trabalho.

Então cá entre nós, isto é literalmente tapar o sol com a peneira.

Em outras palavras, fugir de uma dor emocional afetiva, se agarrando ao trabalho não resolve o problema afetivo, a verdade é que este tipo de estratégia, causa mais problema, do que a solução propriamente dita.

O assunto é extenso e complexo, portanto vou me ater ao tema proposto neste artigo que é a questão do desgaste das relações, por conta das brigas em excesso, em um outro momento volto a questão das compulsões no trabalho.

Quando uma briga começa, o que os olhos racionais não percebem é que são duas crianças feridas, lutando para ver quem ganha a disputa.

No entanto as duas saem perdendo, pois no calor da situação palavras dolorosas são ditas, que em estado lúcido de consciência não seriam.

Depois que tudo acaba, é aquele transtorno para fazer as pazes e “voltar ao clima pacífico” novamente.

Muitas vezes as brigas podem inclusive evoluir, para agressões verbais, emocionais e físicas. Pois além da criança ferida estar em ação, o instinto animal entra em cena, fora os complexos negativos que são ativados e a pessoa parte para o ataque.

O sistema de defesa do corpo inteiro é acionado e a pessoa reage como se fosse lutar o morrer, totalmente correlacionado ao sistema nervoso central. O coração dispara, a respiração fica ofegante e a pupila dilata. Quase uma crise de pânico só para fazer uma analogia.

Portanto para evitar o desgaste da relação é preciso se autoconhecer e se autocurar antes, pois quando a briga começa, dificilmente uma pessoa que não trabalhou suas questões internas em terapia, consegue ficar neutra em uma situação de briga (ataque/fuga).

A conversa muda de figura quando uma pessoa conseguiu o autodomínio, pois nestas condições, não se irrita com a crise emocional do outro. Respira e entende que o outro está vivendo o momento dele.

Neste nível a pessoa consegue não entrar na briga e, portanto, quando um não quer os dois não brigam.

Porque para a briga existir é preciso que haja uma plateia, que neste caso é representada pelo parceiro.

Não existe atalho e nem jeitinho, brigar e fugir não resolverá a questão.

O desgaste na relação é inevitável se as brigas persistirem.

E as pessoas têm compulsão por brigas, porque podem possuir questões dolorosas do passado dentro de si, mas que preferem não olhar de frente. O que é totalmente entendível, pois com certeza existem algumas feridas que doem muito.

O que eu costumo dizer em consultório é que se estiver muito difícil, por doer demais: Respire e se acolha com carinho.

Trate-se com mais amor e generosidade, pois existe na imensa maioria das vezes, um acúmulo de feridas internas, e para tratar cada uma delas na raiz, é preciso ter muita paciência consigo e com próprio processo terapêutico.

Procure um profissional que aprofunde a questão nas águas profundas do inconsciente, que possa te levar e trazer em segurança. Acredite é possível ter uma relação significativa e sem brigas, por mais difícil que pareça acreditar nisto.

Eu pessoalmente já atendi vários casos ditos como “perdidos”, mas que ao fazer esta jornada interna a pessoa conseguiu se recuperar internamente, e consequentemente isto acabou reverberando na vida a dois, cessando as brigas compulsivas.

E se você sentiu com este texto, que deseja avançar comigo em um tratamento terapêutico, vou deixar alguns possíveis passos.

Mas antes disto gravei um vídeo no meu canal sobre: Os impactos nocivos de uma vida afetiva desestruturada para assistir CLIQUE AQUI aproveite e se inscreva no canal vou adorar te ver por lá também.


Estou na terceira edição da Mentoria Afetiva Premium, onde pessoalmente trabalharei com as participantes. Tenho uma vaga restante para fazer parte da Mentoria CLIQUE AQUI
Agora se deseja algo para praticar no dia a dia, eu elaborei 7 áudios específicos para trabalhar o alinhamento da área afetiva, Meu relacionamento e eu, são exercícios que trabalho em consultório com as minhas clientes, para adquirir CLIQUE AQUI
 
Grande abraço!

Cuide-se com amor!

Instagram CLIQUE AQUI
 
 Adriana Mantana

Texto Revisado

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1109


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Conteúdo desenvolvido por: Adriana Mantana   
Terapeuta Junguiana, Consteladora, Renascedora, Terapeuta de Integração Quântica do Ser®, Facilitadora do Jogo Maha Lilah, Terapeuta ThetaHealer®, Terapeuta de Barras de AccessT, Floral de Bach, Radiestesista, Operadora de Mesa Quântica Radiônica, Cromoterapia, PNL, Mestre em Reiki Usui, Cristaloterapeuta, Giver Deeksha, Ativista Quântica.
E-mail: adrianagcl@gmail.com | Mais artigos.

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Psicologia clicando aqui.

Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade










Receba o SomosTodosUM
em primeira mão!
 
 
Ao se cadastrar, você receberá sempre em primeira mão, o mais variado conteúdo de Autoconhecimento, Astrologia, Numerologia, Horóscopo, e muito mais...


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa