Home > Autoconhecimento
Em busca da mente serena

Em busca da mente serena

por Flávio Bastos

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio e eis que a verdade se me revela". (Albert Einstein)

Segundo os dicionários, a ausência de barulho chama-se "silêncio", que significa paz, sossego, calma, quietude, tranquilidade. Tranquilidade, por sua vez, é sinônimo de serenidade. Dessa forma, fecha-se um círculo imaginário de conceitos afins que sintetizam uma pequena parcela da experiência humana sobre a face da Terra.

No entanto, a experiência relacionada ao silêncio não foi suficiente para despertar no homem o seu profundo significado ainda desconhecido para a maioria da população terrestre.

Confundido com inércia, solidão, escuridão, isolamento, entre outros conceitos afins, o homem de todos os tempos demonstrou medo de envolver-se naquilo que subjetivamente ele considera as "armadilhas" do silêncio, preferindo preencher a sua mente com os afazeres do dia em convívio com os ruídos que emanam do burburinho humano.

O homem civilizado, morador de grandes centros urbanos, sabe muito bem o que é viver rodeado de barulho por todos os lados. Essa condição encontra-se incorporada ao seu modus vivendi, influenciando nas relações familiares, sociais e profissionais.

Com a inexperiência na relação com o silêncio, o homem moderno perde em qualidade de vida, pois perde uma ótima oportunidade de investir em si mesmo através do autoconhecimento.

Nesse sentido, por ser inadaptado à ausência de barulho, o homem ocidental não se sente à vontade quando tem a oportunidade de voltar-se para si mesmo e estabelecer contato com a sua natureza transcendental.

O medo do silêncio, inconscientemente associado à morte, cria um tabu difícil de ser apagado do inconsciente coletivo, fazendo do cidadão urbano um dependente psíquico do barulho.

Contudo, não há condicionamento que seja eterno, pois a história da humanidade é repleta de transformações e mudanças nas áreas do conhecimento e do comportamento.

A ciência, por exemplo, já admite a influência da prece e da meditação na recuperação de pacientes em tratamento médico. A espiritualização do indivíduo, baseada em práticas que exigem a introspecção e o silêncio como forma de conectar-se às dimensões mais elevadas de nossa consciência, começa a ganhar adeptos também no mundo ocidental.

Aos poucos, o homem do terceiro milênio, desprende-se do medo de encontrar no silêncio as suas próprias verdades. De inimigo oculto que se escondia nas sombras de uma dimensão desconhecida, o silêncio surge para fazer parte da vida do homem moderno como uma necessidade inquestionável.

Da mesma foma que as pessoas falantes ou os aparelhos de televisão e rádio comunicam, o silêncio também comunica. Basta estarmos perceptivos e receptivos ao seu contato que requer uma mente quieta para elaborar as sutis informações que recebemos de outras dimensões da natureza humana.

Quando elevamos a nossa sintonia através da energia amorosa que constrói, cura e liberta, o resultado dessa atitude consciente torna-se terapêutico e de efeito relaxante.

A terapia do silêncio é milenar, e os orientais sabem disso, tanto que até hoje a meditação é muito difundida entre eles. Cabe ao homem ocidental seguir o exemplo oriental adaptado ao século 21. A terapia do silêncio ensina-nos a ser mais humildes, tolerantes e verdadeiros uns com os outros, enquanto a convivência com o barulho, o frenético rítmo do cotidiano e a competitividade, influencia-nos a ser mais espertos, intolerantes e dissimulados nas relações interpessoais.

A mente serena, mesmo em meio a agitação do mundo moderno é indicativo de saúde integral, onde a espiritualização ocupa o seu espaço e qualifica a existência humana através do silêncio como inestimável aprendizado para a vida.

www.flaviobastos.com

Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   Numerologia  
 
Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp


Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Avaliação: 5 | Votos: 104 Atualizado em 26/05/2011

Autor: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos realizados: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Eteriatria Quântica, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia. 
E-mail: flaviolgb@terra.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
Não espere condições melhores, comece ago
Isto também passará!
Quero ser uma pessoa melhor
Onde existe humildade não há fragilidade
Quando é que vai aparecer alguém na minha vida?
Como lidar com a ansiedade no dia a dia?

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.



Energias para Hoje
sábado, 7 de dezembro de 2019

energia
I-Ching: 20 – KUAN – CONTEMPLAÇÃO
Observe, reflita, medite, pois só assim chegará à compreensão. Pense antes de agir.


energia
Runas: Elhaz
Trace metas. Proteção dos Deuses.


7
Numerologia: Reflexão
Pense a respeito de si e do estágio de vida em que se encontra. Analise metas, projetos e relacionamentos. Use a energia de hoje e discipline sua mente, medite e ouça sua voz interior. Fique quieto e deixe a energia do dia trabalhar por você.




Horóscopo

Áries   Touro   Gêmeos   Câncer
 
Leão   Vírgem   Libra   Escorpião
 
Sagitário   Capricórnio   Aquário   Peixes





 
© Copyright 2000 - 2019 Somos Todos UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa