Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

O Medo do Abandono

por Hee Jin Myung
O Medo do Abandono

Publicado dia 5/8/2020 em Vidas Passadas

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Ter medo de ser abandonado é normal e até saudável para evitar o sofrimento, mas quando o medo do abandono é exagerado, ele tem origem em vidas passadas.

Existem pessoas que têm um medo tão grande de serem abandonadas que acabam vivendo a vida toda sozinhas. Estas pessoas geralmente carregam lembranças de vidas passadas em que foram abandonadas durante muitas vidas.

Um dia atendi uma moça que sofria de depressão e medo de abandono grave desde a adolescência. Ela era casada, com dois filhos e não tinha nenhum motivo que pudesse explicar seus problemas.

Na primeira vivência, ela foi uma mulher casada, com dois filhos. Um dia seu marido e seus dois filhos foram lutar na guerra e nunca mais voltaram. Ela passou 30 anos da sua vida esperando a volta deles.

Na segunda vivência, foi uma dona de casa que tinha quatro filhos. Os filhos cresceram e cada um seguiu seu caminho. Um dia o seu marido morreu e ela ficou viúva e sozinha.
Na terceira vivência, ela foi uma viúva e tinha um único filho. Este foi convocado para guerra e morreu no campo de batalha.

Todo trauma fica gravado no nosso inconsciente podendo crescer a cada vida após cada situação traumática até culminar numa depressão profunda e pavor de ser abandonado.

Neste caso, a Terapia de Vidas Passadas ajudou a relembrar e limpar esse trauma de vidas passadas e a libertou dos seus  problemas. Pois tudo que é inconsciente, e se torna consciente, é terapêutico.

Geralmente pessoas que viveram muitas vidas passadas como mulher e mãe trazem lembranças de muito abandono e solidão, porque o papel de mãe sempre foi um papel muito ingrato. A mulher carrega nove meses um filho na barriga, ama, cuida e um dia ele vai embora.

Muitas vezes, o marido e filhos homens eram convocados para a guerra e morriam.Talvez isso explique o motivo pelo qual há muito mais mulheres que sofrem de depressão do que homens.

Sem falar que antigamente a mulher era proibida de estudar e trabalhar fora e em geral era uma escrava dos seus maridos.

Antigamente, a violência doméstica era muito maior do que hoje porque a mulher dependia totalmente do marido. Geralmente, a mulher era casada ou então tinha que virar prostituta para sobreviver.

Quanto mais velha é a alma, mais traumas e sofrimentos traz de vidas passadas e também o medo do abandono. Afinal, tudo que vivenciamos em vidas passadas fica gravado no inconsciente e acaba influenciando a nossa vida atual.

Tem pessoas que sofrem mais do que outras nesta vida devido ao apego que elas sentem pelos entes queridos. E quanto mais apegadas elas são, mais sentem medo do abandono.

A única maneira de desapegarmos dos entes queridos é despertando para a espiritualidade.

A vida é feita de encontros e desencontros. Quando certas pessoas saem das nossas vidas, é porque precisamos conhecer novas pessoas e aprendermos novas lições de vida. Precisamos aprender a abrir mão das velhas amizades para recebermos novas amizades.

Se passássemos a vida inteira dentro de um mesmo círculo de amizades, não teríamos como crescer espiritualmente.

Quando duas pessoas se encontram, acontece a expansão de consciência de ambas e essa expansão é o que chamamos de crescimento espiritual. Depois que você aprender as lições de vida que vem desse encontro, precisa partir para outros encontros para expandir cada vez mais a sua consciência.

Eu diria que cada ser humano é como um livro. Ele sempre nos ensina uma nova lição e, portanto, quanto mais pessoas conhecermos, maior será o nosso crescimento espiritual.

Às vezes, aquilo que nós consideramos uma tragédia(separação ou morte) pode ser, na verdade, Deus nos abençoando com novas lições de vida, por que o que realmente importa nesta vida é o nosso crescimento espiritual...

Todos precisamos compreender a mente de Deus e aprender a olhar com Seus Olhos, então, concluiremos que Ele é justo e perfeito e que sempre faz o melhor para nós.

Às vezes, um indivíduo perde a sua mãe na infância para que possa aprender a buscar e conhecer a Deus desde cedo. Muitos líderes espirituais ficaram órfãos de mãe na infância. (Profeta Maomé, Paramahansa Yogananda e Chico Xavier).

Almas que se amam de verdade nunca se separam para sempre. Elas voltam a se encontrar tanto no plano espiritual quanto no plano material, pois o amor verdadeiro é eterno e até aumenta com o passar do tempo.

O amor verdadeiro é como um ímã que atrai as almas afins, vida após vida, para que possam se ajudar e crescer espiritualmente juntas.
Texto Revisado

 

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

star Avaliação: 1 | Votos: 0

Sobre o Autor: Hee Jin Myung   
Médica Psiquiatra, Terapeuta de Vidas Passadas e Psicotranseterapia. Atendo no meu consultório na R Vergueiro 2045 cj 604. Tel (11) 9 9958-4650
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Mensagem Para A+Cor+Dar
artigo Desacelerar
artigo Será que a mãe ou o parceiro abusivo sabe o que está fazendo?
artigo A estrela e a canção: Presentes de Brahman

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.





horoscopo

error
auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa