auravide auravide

Síndrome de Gabriela


Facebook   E-mail   Whatsapp

"Tenhamos em mente que não somos o que os outros pensam e, muitas vezes, nem mesmo o que pensamos ser. Mas somos, verdadeiramente, o que sentimos. Aliás, os sentimentos revelam nosso desempenho no passado, nossa atuação no presente e nossa potencialidade no futuro" (Hammed - Francisco de Espírito Santo Neto)

Um dos maiores, se não o maior desafio do espírito encarnado, é o de alterar para melhor o modelo comportamental que traz de suas vivências pregressas.

A alteração, mínima que seja e que siga um lento processo de descobrimento de si mesmo, é o que idealizam as psicoterapias em geral, ou seja, uma mudança comportamental que altere positivamente o que antes significava inconsciência ou sofrimento psíquico.

Neste sentido, a libertação das sintonias inconscientes que prendem o indivíduo ao seu passado, através da elaboração e conscientização de suas origens, é o objetivo de todo processo psicoterapêutico, seja de linha tradicional ou alternativa.

Libertar alterando gradativamente o padrão comportamental de traço negativo, significa o caminho em direção à autocura do indivíduo em tratamento psíquico ou psíquico-espiritual. No entanto, é justamente este o problema encontrado em alguns casos em que a tendência conservadora permanece cristalizada no conjunto de crenças e de escolhas da pessoa, e que continua atuando no seu comportamento como atuava há trezentos anos, o que denominamos na Psicoterapia Interdimensional de "Síndrome de Gabriela".

Por que Gabriela? Porque é o que nos informa a letra da trilha musical de uma novela que foi sucesso de audiência na década de setenta: "Eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim... Gabriela... sempre Gabriela".

Resumindo: portadora da síndrome de Gabriela é a pessoa, que apesar de ter acessado algumas verdades que emergiram do inconsciente para a luz da consciência, permanece sem estímulo para uma atitude elaborativa de renovação interior.

O forte apego a valores materialistas e a sentimentos negativos que traz do pretérito, associado a atávicas imperfeições humanas, como o orgulho e o egoísmo, impedem que o indivíduo desafie o próprio medo de uma mudança gradual que o leve à cura de seu sofrimento psíquico.

Indivíduos, que apesar de entenderem as causas do efeito que representa o seu desconforto psíquico relacionado à infância da vida atual e a vida(s) passada(s), proporcionado pela experiência regressiva, continuam fixados em um conjunto de crenças que turvam a visão e anestesiam a capacidade de discernimento em relação a si mesmos.

Portanto, a síndrome de Gabriela revela-nos o quanto somos apegados a um passado cujas escolhas indicam o que somos no presente. Alerta de que a acomodação significa a manutenção, por tempo indeterminado, de sintomas responsáveis pelos desequilíbrios psíquico-espirituais conhecidos como psicopatologias.

Contudo, se desejarmos "quebrar" esse paradigma que nos associa a vidas passadas, temos que apurar a percepção de momento relacionada à vida atual, ou seja, despertar para o que deve ser encaminhado no sentido de alterarmos o nosso comportamento, o que exige atitude desafiadora e, provávelmente inédita em relação às decisões a serem tomadas.

Estarmos conscientes de que o modelo que internalizamos é o responsável pelas dores da alma que cultivamos com o passar dos séculos, representa o primeiro passo dado na direção de nossa autocura.

Nesta direção, ao descermos do pedestal construído pela impurezas de nossas próprias limitações, visualizamos o caminho a ser trilhado, e do qual nos desviamos em algum momento do passado.

Optar pelo gradual desprendimento do pretérito é perceber o presente como base para o futuro. É aceitar a vida como uma oportunidade em que a renovação não tem tempo para começar, e a certeza de que a síndrome de Gabriela representa a paralização do processo evolutivo do indivíduo, porque as coisas boas que acumulamos são imperecíveis, pois permanecem na bagagem do espírito que trilha o caminho do equilíbrio e do crescimento interior.



Texto revisado
Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 51


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

foto-autor
Conteúdo desenvolvido por: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva (TRE), Psicoterapia Reencarnacionista e Terapia de Regressão, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose, e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: [email protected] | Mais artigos.

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Vidas Passadas clicando aqui.

Veja também © Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade










Receba o SomosTodosUM
em primeira mão!
 
 
Ao se cadastrar, você receberá sempre em primeira mão, o mais variado conteúdo de Autoconhecimento, Astrologia, Numerologia, Horóscopo, e muito mais...


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa