Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade

É possível `apagar´ lembranças ruins?

É possível `apagar´ lembranças ruins? Publicado dia 12/3/2019 3:48:26 AM em Psicologia

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Implantar memórias boas no lugar das ruins. Parece ficção científica, como se vê nos filmes A Origem e Matrix, mas é plenamente possível. Os famosos traumas e perturbações que acometem nossa mente, impedindo nosso bem-estar mental e prejudicando as atitudes do dia a dia, têm uma solução de quatro letras: EMDR, uma sigla que significa dessensibilização e reprocessamento através de movimentos oculares. O método auxilia a refazer conexões e a trabalhar novas sinapses cerebrais, sendo possível assim, estimular os dois lados do cérebro, obtendo resultados rápidos e de maneiras surpreendentes, redimensionando as lembranças perturbadoras.

Exemplos é o que não faltam quando se exerce este tipo de terapia. Lembro de um paciente que veio ao consultório por conta de um evento marcante que estava começando a deixá-lo com sinais de que literalmente estaria entrando em processo de pânico quando entrava em elevadores. O fato é que cerca de dois meses antes, já tarde da noite e depois de um árduo dia de trabalho, ele havia ficado preso sozinho dentro do elevador do prédio onde morava. O seu processo de resgate demorou cerca de uma hora e meia, algo muito além do tempo usual para ser concluído. Durante o tempo em que esteve trancado no elevador, apesar do imenso cansaço e calor sentido, ele lembra que o pior momento foi no instante em que teve uma breve sensação de que iria desmaiar. Logo na sequência, porém, pôde se controlar a ponto de que isso efetivamente não ocorresse. Outra coisa que também foi marcante no evento, é que quando finalmente conseguiram abrir a porta do elevador, ele saiu meio que em fúria se encaminhando diretamente para o seu quarto, onde exausto, jogou-se em sua cama, acordando somente no dia seguinte.

Depois desse evento, achando que estava tudo bem, no dia seguinte, como de costume, pegou o elevador para descer do seu andar ao térreo do seu prédio para ir ao serviço. Até aí, nada incomum havia acontecido. No prédio onde trabalhava também pegou o elevador e até aquele ponto, tudo estava correndo bem. No final do dia, porém, já cansado novamente, pega o elevador para descer e algo em seu peito palpita mais forte. Uma certa ansiedade de fundo surge, um medo talvez, e uma voz silenciosa insistindo em lhe dizer..."e se o elevador parar..." lhe acometem. Era o sinal do trauma instalado e da ativação de medos até então desconhecidos. Sem perder tempo e já pressentindo que esta sensação e sentimentos tenderiam a piorar, o paciente veio em busca de cura emocional. A memória do acidente com o elevador e o eco que fazia em sua mente precisavam terminar para que a sua vida pudesse continuar a fluir como sempre.

Jorge, vamos dar esse nome, seguiu em terapia EMDR e surpreendentemente para ele, e mesmo para mim, seu cérebro o levou de imediato para uma cena de parto. Entrou em contato no momento em que estava em seu próprio parto natural. Ele estava nascendo, só que, numa fração de segundo e num susto enorme, escorrega de volta para dentro da barriga da sua mãe. Uma sensação de quase-morte o invade, de um rápido sufocamento e talvez um quase desmaio, antes mesmo de nascer. Medo. Muito medo. Alguns segundos depois, que deixaram a sensação de ser uma eternidade, o médico literalmente coloca a mão e consegue virá-lo para a posição correta, auxiliando-o em seu nascimento. Após reviver esta cena em meio ao descolamento de todos estes sentimentos represados, percebe-se altamente cansado, até que finalmente dorme... Num outro pulso de movimentos bilaterais, seu cérebro o leva para a cena do elevador onde ele revivencia todo o estresse, seus medos velados, agora revelados na cena do elevador, seu quase desmaio e suas angústias até que a porta do elevador se abriu. E diferentemente da cena real, em seu EMDR, ele está como um bebê recém-nascido e duas enfermeiras carinhosamente o pegam exausto do chão do elevador e o embalam no colo até ele relaxar, colocando-o em sua cama de adulto onde ele acolhido e com confiança, de verdade, pode descansar com tranquilidade.

Depois da reedição deste evento, além de se recuperar totalmente dos sinais de pânico que começavam a crescer, pode ficar muito mais relaxado e confiante do que sempre. Vários bloqueios antes invisíveis foram reprocessados e a qualidade sua vida ficou surpreendentemente melhor, mesmo ele não tendo anteriormente a menor ideia de que essas travas emocionais estavam lá antes do evento do elevador, dificultando-o de ter plenitude de diversos de seus cenários de vida.

A terapia surgiu nos Estados Unidos e, desde então, tem sido utilizada para milhares de pessoas. O EMDR funciona assim: o especialista identifica o que limita e perturba o paciente. Em seguida, é solicitado ao indivíduo que recorde e focalize esse problema, cena, ou situação ruim, acompanhando os movimentos do terapeuta, com movimentos oculares, estímulos bilaterais, estalos auditivos, entre outros. Para se exercer essa terapia é necessário ser psicólogo certificado pelo EMDR Institute.
É possível obter vários benefícios com a técnica, que é uma ferramenta muito eficiente pois é o próprio paciente que pela revivência de suas experiências faz as associações necessárias, o que promove a sua cura emocional.


por Silvia Malamud


Obrigado por votar

O artigo recebeu 25 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Consulte grátis

Mapa Astral   Tarot   Numerologia  


Sobre o autor
Silvia Malamud é colaboradora do Site desde 2000. Psicóloga Clínica, Terapias Breves, Terapeuta Certificada em EMDR pelo EMDR Institute/EUA e Terapeuta em Brainspotting - David Grand PhD/EUA.
Terapia de Abordagem direta a memórias do inconsciente.
Tel. (11) 99938.3142 - deixar recado.
Autora dos Livros: Sequestradores de almas - Guia de Sobrevivência e Projeto Secreto Universos

Email: malamud.silvia@gmail.com
Visite o Site do Autor

Veja também
Vencendo os problemas
Quando vai haver algo de realmente novo em você?



Continue lendo
Vencendo os problemas
Quando vai haver algo de realmente novo em você?
Como enfrentar e superar as adversidades que a vida nos propõe?
Quem leva quem?

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa