auravide auravide

Faith: Its Important Role in Human Life

Publicado por WebMaster em STUM WORLD

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

AUTHOR: GUILHERMINA BATISTA CRUZ
First published on the SITE SOMOSTODOSUM in February 2005
Translated by LILA DE ARAUJO RAYOL in April 2006 - [email protected]

Faith is by far the virtue that brings the greatest peace of mind to the human spirit. It is inseparably matched by patuience and acceptance, the mainly emotional traits necessary to face suffering and trouble while we go through out our pilgrimage on Earth.

Through faith we learn to thank the Lord for the many blessings bestowed upon us and leaning on this virtue we do become stronger and enabled to work ourselves out of difficult situations, many times felt as affictions, were our path not guided by Faith.

When facing suffering and hindrances, if Faith is present we are enabled to accept problems as necessary means towards God’s designs. But the Faith guiding us must be a diligent one, so as to give us certainty and courage thus allowing the awareness of the tasks yet to be completed and tests yet to go through.

Blind faith, based simply upon our ardent wish to attain our earthenly goals through the miraculous intervention of some divine being - although deriving from respect to Godly powers - demands action. We should not expect to be given everything we dream of directly from Heavens. We should work hard guided by the belief that we will reach what we need, no matter the pitfalls we may have to encounter. It is not advisabel to just plead and keep aloof, expecting God to give us all we have dreamed of and want for ourselves. Many people with persistence and confidence are able to impregnate themselves with such strong faith that it indeed returns by means of good actions to those who have not failed to keep their faith.

Yet, there are some people who, while facing problems, say that they have, yes, asked God for strenght. But they also say that they have left it up to God, therefore, they do expect Him to do as He chooses... By adopting such an attitude people are not showing conformity but indeed an enormous lack of hope!

We must and in fact we do need to always have an everlasting confidence in the Divine Mercy, as It always comes to our “rescue” in critical moments, but we nevertheless must dedicate ourselves to do our part. And this means we should always be looking for ways at our disposal or within reach so as to find solutions or at least to make problems more acceptable. While dealing with health problems, for instance, searching for their cause or trying to find what to do to overcome them, will alow us to either stop infirmity or mitigate its consequences or at least accept the inevitable, pleading with God for the necessary strenght to go through such hardships.

This is what we can truly call resignation; it implies accepting tests without giving up to them, without allowing them to restrict our action, trying to go on with our life, confident that things will soon pass and that certain events do happen to our advantage alowing us to become stronger.

When we do awaken to the realities of our life on Earth and to the fact that difficulties are means leading to true Faith – since Faith does frequently rise from the hardest of afflictions, we tend to become fulfilled with confidence and finally able to understand that problems, no matter how big they seem, can certainly be solved; while the solution at hand may not seem the best for us at that particular moment, it might appear different later on, when we finally realize what purpose has it met in our life.

We should not allow suffering to become untamed, that is, we should not think that our pains are the hardest to face, ignoring others who are right then and there facing much greater problems than ours, and yet do not utter one single word of revolt, while we do nothing but complain. As a matter of fact, the resignation of the one who suffers showing no bitternes or rebellion is one of the sources of inspiration helping us the strenghtening in sincere Faith, when we do realize how many others are there who are going through crucial problems in their lives.They should be seen as models and incentives, helping us to avoid revolt, while they show an understanding and most of all the great Faith in God that allow them hope of overcoming all their problems and regain the peace that their spirit may momentarily lack. Cultivating Faith in our inner-self is a necessary habit that enables the expression of resignation and confidence, two traits that allow changing an adverse situation into a positive one.

So as to let Faith blossom, even if in just a tiny measure, one should work tirelessly against negative powers such as depression, pessimism and indifference. Changing our innermost feelings into positive ones will help building vivid Faith and while it starts gaining full development through the strenghtening of our will, we cease to subside to feelings of discouragement and incredulity, commonly attacking those who have to deal with hardships.

Pain and suffering may time and again surround us but there are certain phases in life when all hell seems loose and coming from all directions, whether in the form of sickness, or unemployment, or disloyalty from a loved one, family misunderstandings and many other situations that strike as a never-ending storm. But no matter their dimension, problems and difficulties shall pass, for they, too, as everything else in life, are transitory and should be taken as learning opportunities to set us free from imperfection and help us building strong and sound goals.

When we finally decide to start disclosing the mysteries of life, meditating why is affliction an inherent part of human experience, we might find that everything in life has a meaning and that God Almighty in His enconpassing generosity and fairness would not inflict us with suffering just for His own pleasure. And if we do come to face problems, while others go on living without such hardships, there might be a reason. Yet, we may find many who are suffering in much greater extension than us, who are facing serious problems of different kinds and yet going through their burdens without loosing their faith in God’s kindness and mercy, while we, on the contrary, believe that ours is the greatest suffering and pain will never leave us...

We should instead meditate on Saint Agustin’s words as He says: “What remedy should there be recommended to those who are attacked by crude obsessions and excruciating calamities? One and only one is infalible: HAVE FAITH, KEEP YOUR EYES HIGH ABOVE TOWARD HEAVENS.The best remedy for suffering is Faith, as it points to endless horizons, allowing the somber day of the present to fade away. Do not ask again which remedy is there to cure this ulcer, to face this temptation, or that test. Remember that the one who believes is strong by the remedy of Faith, while the one who doubts the efficacy of Faith even if just for a second, is calling for the instant punishment of anguish. By changing our attitude toward life, we may grasp, through searching and questioning, the meaning of what we consider suffering. Searching for such understanding may lead us to greater serenity and resignation.

*****

Versão original em Português

A Importância da Fé em Nossa Vida

por Guilhermina Batista Cruz - [email protected]

A fé é a virtude que mais nos traz paz de espírito, pois é companheira inseparável da paciência e da aceitação, imprescindíveis para passarmos pelos sofrimentos e atribulações de nossa jornada terrena.

É através da fé que aprendemos a bendizer a Deus por todas as bênçãos de que dispomos e, apoiados nela, é que nos fortalecemos para sairmos de situações, muitas vezes aflitivas, se não a tivermos guiando nossos passos.

Quando nos chegam os sofrimentos e as atribulações, se a fé estiver presente, aceitamos os problemas como provas necessárias a fim de que possamos atender dignamente aos desígnios de nosso Pai Maior.

Mas a fé que professarmos necessita ser diligente, procurando apoiar-se na certeza, para nos impregnarmos de coragem e para que nos tornemos conscientes das tarefas a serem executadas e das provas pelas quais ainda passaremos.

A fé cega, aquela apoiada apenas no afã ardoroso de tudo conseguirmos pela intercessão milagrosa de algum ente divino, embora oriunda do respeito à divindade, precisa da ação. Não devemos esperar que tudo nos caia de “graça”. Devemos ir à luta imbuídos de que venceremos, mesmo que, a princípio, nossas ações se mostrem fadadas ao fracasso.

Não é pedirmos e nos fecharmos em nós mesmos, deixando a cargo de Deus a execução de tudo que sonhamos e queremos para nós. Muita gente, com persistência e confiança, consegue se impregnar de uma fé tão resistente, que ela realmente retorna em ações de benignidade àquele que dela não prescinde.

Há pessoas que, ao enfrentarem problemas, respondem que sim, quando indagadas se já pediram forças e proteção a Deus. Que entregaram a Deus e que ele faça como lhe aprouver, demonstrando com isso, muitas vezes, não a resignação, mas sim, um grande desalento.

Devemos e necessitamos – sempre - confiarmos na misericórdia divina, que sempre nos “acode” nos momentos críticos, mas precisamos fazer a nossa parte; e a nossa parte é procurarmos os meios de que dispomos ou que se nos apresentem, a fim de que solucionemos os problemas ou pelo menos possamos torná-los mais aceitáveis.

Se estamos enfrentando problemas de saúde é através da procura de suas causas e do que podemos fazer para as debelar, que conseguiremos sanar a enfermidade, minorar-lhe as conseqüências ou pelo menos aceitar o inevitável, rogando ao criador as forças necessárias para atravessarmos a prova pela qual estamos passando.

A isso chamamos, realmente, de resignação; é a aceitação da prova sem que a ela nos entreguemos, sem deixar que ela nos tolha totalmente as ações, procurando levar nossa vida adiante, confiando que logo mais tudo passará, deixando-nos mais fortalecidos.

Quando despertarmos para as realidades da vida e para o fato de que é através das dificuldades que somos impelidos à fé verdadeira - já que ela se fortalece justamente nas maiores aflições - nos impregnaremos de confiança sincera e veremos que os problemas, por maiores que nos pareçam, certamente serão solucionados; e, se a solução não é a mais propícia para nós naquele momento, pode mais tarde apresentar-se de outra forma, trazendo-nos a compreensão de sua finalidade em nossa vida.

Evitemos que o sofrimento extrapole a sua realidade, ou seja, não devemos achar que nossas dores são as mais difíceis de atravessar, sem olharmos ou mesmo nos interessarmos pelas do próximo, às vezes maiores ou mais exacerbadas que as nossas, e, no entanto, eles não reclamam tanto quanto nós.

Aliás, a resignação daquele que sofre sem amargura e sem revolta é uma das razões, também, para nos fortalecermos na fé sincera, pois, existem criaturas atravessando problemas realmente cruciais em suas vidas. Servem-nos de modelo e de incentivo para que não nos revoltemos, dada a compreensão que possuem e, acima de tudo, a confiança que têm depositada em Deus e que após a turbulência alcançarão o estado de paz de que carecem seus espíritos.

É necessário que aprendamos a cultivá-la em nosso íntimo com o fim de exteriorizá-la através da resignação e da confiança de que podemos reverter uma situação que se nos apresente, momentaneamente, adversa.

Para que a fé consiga brotar mesmo que só numa pequena semente, é preciso combater as forças negativas do desânimo, do pessimismo e da indiferença. Quando conseguirmos alterar, por menor que seja a transformação, o nosso campo íntimo, a fé viva começará a se desenvolver através do fortalecimento de nossa vontade, pois não mais estará sujeita aos estados de desânimo e de descrença que nos acometem quando nos sentimos fustigados pelas atribulações da vida.

As dores e os sofrimentos nos atingem mais duramente vez ou outra, mas há fases em nossa vida em que parece acontecer tudo de ruim ao mesmo tempo: as doenças, o desemprego, a traição de alguém querido, os desentendimentos familiares e muitas outras coisas que nos envolvem numa borrasca de sofrimentos infindáveis.

Os problemas e as dificuldades, por maiores que nos pareçam, passarão, pois tudo em nossa vida é transitório, é aprendizado, é lição, para nos libertarmos de nossas imperfeições e nos fortalecermos em nossos propósitos do bem.

Quando nos propusermos, realmente, a desvendar os ”mistérios” da vida, a meditarmos no por que das aflições em nosso caminho, veremos que tudo na vida tem o seu sentido e que Deus, soberanamente justo e bom, sendo perfeito em todos os sentidos, não pode nos infligir os sofrimentos. Então, se os estamos enfrentando, devemos nos perguntar por que razão eles estão em nossa vida, qual o sentido de estarmos “sofrendo”, enquanto outras pessoas conseguem viver mais serenamente.

E como aquelas pessoas que atravessam realmente problemas sérios de toda ordem, se conduzem tão resignadamente e ainda nos dão exemplos de fé na bondade e misericórdia de Deus, enquanto nós nos revoltamos e achamos que somos os maiores sofredores do mundo e que as dores nunca nos abandonarão.

Meditemos nas palavras de Santo Agostinho : “Que remédio, pois, recomendar àqueles que estão atacados de obsessões cruéis e de males cruciantes? Um só é infalível: a fé, o olhar para o céu...É a fé o remédio certo do sofrimento; ela mostra sempre os horizontes do infinito, diante dos quais se apagam os poucos dias sombrios do presente...Não nos pergunteis mais, pois, qual remédio é preciso empregar para curar tal úlcera ou tal chaga, tal tentação ou tal prova; recordai que aquele que crê é forte pelo remédio da fé, e que aquele que duvida um segundo da sua eficácia, é logo punido, porque experimenta no mesmo instante as pungentes angústias da aflição."
O Evangelho Segundo o Espiritismo - Capítulo V - item 19

Mudemos a nossa atitude diante da vida. Aprendamos, através da busca e da indagação, o sentido daquilo que consideramos como sofrimento. A busca da compreensão poderá nos ensejar mais serenidade e resignação.

Paz e Luz a todos!
G.B.

Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   horoscopo


Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


Sobre o autor
WebMaster é o Apelido que identifica os artigos traduzidos dos Associados ao Clube STUM, bem como outros textos de conteúdo relevante.
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor




publicidade










Receba o SomosTodosUM
em primeira mão!
 
 
Ao se cadastrar, você receberá sempre em primeira mão, o mais variado conteúdo de Autoconhecimento, Astrologia, Numerologia, Horóscopo, e muito mais...

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa