Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 

Se deu mal no amor?!?

Publicado dia 1/26/2007 11:14:13 AM em Almas Gêmeas

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp   chat aura

De vez em quando, todos nós levamos um daqueles baita tombos na vida! Ainda que, num primeiro momento, sirva para nos fazer perder o rumo, tem de servir também para nos acordar e nos tirar do lugar cômodo em que nos colocamos.

A vontade é de ficar gritando para o juiz aplicar o cartão vermelho em quem nos passou a danada da rasteira. Só que a vida não é um jogo e sim uma escola. Estamos aqui para aprender e não para contabilizar pontos num placar que não vale nada.

É exatamente neste momento, em que estamos no chão, arrasados, machucados, humilhados e perdidos, que temos a chance de perceber para que viemos, para que amamos.

Apostamos no amor para nos lamentar diante de seus desafios ou para aprender a lidar de forma menos destruidora com essa avalanche de sensações e sentimentos capazes de nos remeter a um abismo tenebroso?

Não existe um único jeito de reagir diante da dor e do medo. Mas só há uma saída: reagir! Cada pessoa tem o seu tempo para digerir os sentimentos aflorados numa situação difícil, ainda que muitos, infelizmente, nunca terminem esta digestão.

Se você compreende que nada nesta vida, nem um enorme sofrimento, pode nos consumir indefinidamente, compreende também que é preciso levantar e sacudir a poeira. Claro que cair dói. E claro também que levantar não significa que a dor já passou. Mas significa, com toda certeza, que você está disposto a superá-la!

Sofrer, doer e chorar são reações absolutamente aceitáveis, compreensíveis e até muito dignas, pois evidenciam a saúde emocional de uma pessoa. Por mais crescidos, evoluídos e conscientes que sejamos, sentir faz parte, sofrer faz parte! Diante de uma decepção, será sempre inevitável que nos sintamos tristes e magoados.

Porém (e muito porém, mesmo!), há uma enorme diferença entre se sentir triste por algum tempo e se deixar sucumbir, tornando-se sócio remido do clube das vítimas, das pobre-coitadas.

Porque se todo mundo sofre, a diferença está basicamente no que você pensa e faz enquanto sofre. A pessoa amadurecida sofre aprendendo e a pessoa imatura sofre se perdendo.

A gente aprende quando observa o que aconteceu, não para assinalar os defeitos do outro e condená-lo; não para apontar os tropeções dele e se colocar no lugar de quem está certo; não para se lamentar por ter sido tão bom e jurar que nunca mais vai acreditar no amor. Não!

A gente aprende percebendo que também cometeu enganos, que também participou dos equívocos e que pode sair mais inteira e mais crescida depois de qualquer problema. Fácil? Rápido? Simples?!? De forma alguma!!

Talvez levemos meses ou anos até descobrir como podemos ser melhores, como podemos viver o amor de modo que uma relação não seja uma muleta e sim um presente precioso. Que não seja um remédio para nosso desespero, afinal amar não é depositar sobre o outro todas as nossas frustrações e medos.

A gente cresce enquanto vive e erra enquanto aprende! Que isso fique bem claro, para que você entenda por que – de fato – não adianta ficar preso em acusações e lamentações. A vida anda! Os dias passam. O mundo não pára enquanto você fica prostrado num passado doloroso. Lá, definitivamente não há nada que valha a pena.

Sei que uma das maiores decepções que podem nos acontecer numa relação de amor é uma traição, seja de qualquer ordem, mas especialmente a emocional-sexual. Entretanto, ainda assim, quando a gente está decidida de fato, é possível superar. Claro que o outro também tem de querer. Mas independentemente do que o outro quer, há que se viver uma superação pessoal!

Foi traído? Pois muito bem: este não é, infelizmente, um ‘privilégio’ somente seu! Já sofreu o bastante? Já se culpou, culpou o outro, chorou, xingou e jurou a si mesmo que nunca mais seria tão tolo?!? Ok! Agora levanta, lava esse rosto, alivie esse coração e saia para a vida!

Perceba que de nada adianta ficar aí se remoendo, definhando, murchando e deixando que todo o seu brilho se apague por causa da escolha do outro. Viva a sua vida! Faça as suas escolhas. Seja você, sem que isso signifique uma vingança, porque toda vingança é, no final das contas, uma agressão praticada contra si mesmo.

Dói sim, porque você é gente! Mas não se aniquile! Permita-se levantar depois do tombo. Permita-se ser feliz novamente, apesar de todas as lágrimas derramadas. Saiba-se melhor depois de uma dor que te dilacera, mas que também te faz renascer ainda melhor do que tem sido!

por Rosana Braga

Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   horoscopo


Obrigado por votar
starstarstarstarstar
O artigo recebeu 1 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp   chat aura

Sobre o autor
foto
Rosana Braga é Especialista em Relacionamento e Autoestima, Autora de 9 livros sobre o tema. Psicóloga e Coach. Busca através de seus artigos, ajudar pessoas a se sentirem verdadeiramente mais seguras e atraentes, além de mostrar que é possível viver relacionamentos maduros, saudáveis e prazerosos.
Acesse rosanabraga.com.br para mais conteúdos exclusivos!
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor





horoscopo


As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa