auravide auravide

É hora de fortalecer o sistema imunológico dos baixinhos 1


E dos altinhos também.
Pois é, o inverno começará no dia 21 de junho, época quando o frio, a umidade e a poluição mais afetam o sistema respiratório dos baixinhos, desencadeando gripes e resfriados. Quadros que se repetitivos ou mal curados, levam a pneumonias, broncopneumonias, tosses e otites. Os processos alérgicos se exacerbam, a rinite, sinusite, asma e bronquite dão as caras com crises mais freqüentes e intensas.
Portanto, nada de esperar o inverno chegar para ver o que vai dar. Nada de passar o inverno passeando nas farmácias, médicos e hospitais. Nada de gastar dinheiro com remédios. Nada de perder aulas, o apetite e as brincadeiras.
É chegada a hora de prevenir tudo isso, fortalecendo o sistema imunológico de todo mundo: baixinhos e altinhos.
Como? Terapia Intensiva do Limão.

É! Isso mesmo: a melhor medicina é a preventiva e com terapia natural.
Vamos aproveitar que o limão está numa super safra, barato, bonito, suculento e fantástico para enriquecer a saúde de todo mundo. Cheio de amor para dar.
A Terapia Intensiva do limão, que tem duração de 19 dias, pode ser praticada também pelos baixinhos, conforme descrito na tabela abaixo.
A sugestão é realizar um tratamento preventivo agora em março e um segundo tratamento de reforço em final de abril ou início de maio.
Nos intervalos da Terapia, fazer a manutenção com os sucos desintoxicantes formulados com limão e laranja, raízes cruas (cenoura ou beterraba ou inhame ou nabo), folhas verdes e frutas (maçã ou manga ou mamão), e tomados pela garotada (e a adultada) 2 a 3 vezes ao dia.

A Terapia do Limão - “Como é difícil ensinar simplicidade”
O limão é uma jóia da natureza, o rei dos frutos curativos. Segundo os ensinamentos da milenar medicina Ayurvédica, ele é considerado um grande agente de cura, classificado entre os mais benéficos dos alimentos conhecidos pela humanidade.
Suas propriedades terapêuticas são múltiplas, e revelam um enorme poder de prevenir, tratar e curar doenças.
Seu uso interno é um estimulante do processo digestivo e de assimilação nutricional; acalma, refresca, equilibra, fluidifica, dissolve cristais e tumores, nutre, depura, desinfeta e fortalece todo o organismo humano. Externamente, trata, limpa, clarifica, relaxa e alegra.
No entanto, tendemos a repudiá-lo quando pensamos no seu gosto azedo, e a minimizar as suas virtudes, tanto na manutenção e recuperação da saúde, quanto no seu valor nutricional.

Esta atitude instalou-se pela suposição de que ele é agressivo para o estômago, que pode acidificar o sangue e até afiná-lo demais. Felizmente, trata-se de uma “desinformação”, porque o limão, apesar do seu sabor ácido, exerce poderosa e muito benéfica reação alcalinizante no organismo.
As frutas frescas, os legumes e as hortaliças (principalmente os orgânicos) quando ingeridos crus – por seu elevado teor de sais minerais, vitalidade, água e fibras – são exatamente os alimentos mais alcalinizantes à nossa disposição.
Entretanto, o limão é incomparável. Seu potencial de alcalinizar o sangue humano acontece imediatamente após sua ingestão, quando comporta-se como um alcalinizante suave, ou seja, um neutralizante da acidez interna.

O consumo diário e regular do limão, é profilático e um verdadeiro elixir da longa vida.
Hoje em dia, fala-se e consome-se muitos complementos contendo sais e vitaminas, para suprir as deficiências alimentares. São fórmulas industrializadas, obtidas por misturas sintéticas de vários dos componentes, em proporções sugeridas por cientistas e profissionais da saúde.
Entretanto, existe enorme diferença de absorção e resultados entre o consumo do alimento fresco e natural e estes suplementos. É fato que um comprimido efervescente de 500 mg de vitamina C não substitui jamais o consumo de 2 limões diários, pois junto à vitamina C totalmente ativa (viva) do limão, existem os seus demais constituintes, que funcionam de forma integrada no seu aproveitamento e benefícios.

Uma criança, com alimentação repetidamente inadequada desenvolve em um sangue continuamente ácido, condição ideal para o desenvolvimento de muitas enfermidades e suas manifestações, entre elas, as doenças cardiovasculares, artríticas e as derivadas de um sistema imunológico fragilizado.

Assim, para prevenir que o organismo chegue à doença, ou mesmo tratar a doença, é necessário fazer uso diário de alimentos que alcalinizem o sangue, favorecendo o equilíbrio metabólico e a eliminação dos seus resíduos tóxicos.
Quando isso não acontece, tais resíduos permanecem por tempo demasiado no organismo, ocasionando agravos patológicos, funcionando ainda como verdadeiros escudos, ao dificultarem o sucesso dos tratamentos convencionais de cura e das terapias alternativas.
O limão, com seus ácidos facilmente transformados em elementos alcalinizantes e suas bases, fermentos, vitaminas, fibras e monoterpenos, contribui poderosamente para eliminar estes responsáveis diretos e indiretos pelas doenças.
Muitas dificuldades de saúde se beneficiam com o consumo regular do limão. No entanto, o uso intensivo é especialmente indicado no fortalecimento do sistema imunológico, respiratório e cardiovascular, oferecendo assim proteção contra o câncer e demais doenças.

Para este tratamento, deve ser usado fruto pequeno/médio e suculento, macio e perfeitamente maduro, que gera cerca de 30 ml (2 colheres de sopa) de suco por fruta, da variedade que mais convier, preferentemente orgânico ou isento de agrotóxicos.
O tratamento está baseado no consumo do suco puro e fresco dos limões, sendo totalmente incompatível a presença do açúcar que é um alimento que acidifica e intoxica o sangue.

A Terapia Intensiva
O tratamento mais conhecido e divulgado na literatura sobre o limão é a Terapia Intensiva de 19 dias, que começa pela ingestão do suco de um limão no primeiro dia e vai aumentando-se a dose diária com 1 limão, ao longo de dez dias sucessivos, até perfazer o total de 10 limões no décimo dia.
No décimo primeiro dia decrescem as doses em igual proporção, reduzindo 1 limão a cada dia, até que no décimo nono dia a ingestão é o suco de apenas 1 limão.
Observe na tabela a seguir o esquema dia-a-dia de como deve ser praticado este tratamento nas diferentes faixas etárias.Naqueles dias quando são muitos os limões, e o volume de suco é elevado, a ingestão pode ser feita em apenas uma toma em jejum, ou, mais factivelmente, em 2-3 tomas distribuídas ao longo do dia:
- Primeira toma em jejum, 20 minutos antes do desjejum;
- Uma ou duas tomas 10-20 minutos antes das refeições principais.

Nota: 1 limão médio gera cerca de 30 ml de suco = 2 colheres de sopa

Um exemplo: No décimo dia serão 10 limões. Assim, tomar o suco de 4 limões, em jejum, cerca de 20 minutos antes do desjejum; de mais 3 limões, 10-20 minutos antes do almoço; e dos últimos 3 limões, igualmente antes do jantar.
Não pense que este tratamento deve ser praticado igualmente por todas as pessoas. Ao contrário, existe a possibilidade de serem feitas adaptações, conforme as condições e sensações corporais de cada criança.
Observar que podem ocorrer as situações a seguir descritas.
A criança está por demais intoxicada e logo no começo do tratamento sente muito mal-estar, como acidez, náuseas, dor de cabeça, diarréia ou indisposição geral. Neste caso, o indicado é respeitar o corpo; e repetir a quantidade de limões do dia anterior e observar. Caso os sintomas aliviem um pouco, seguir em frente na seqüência prescrita pela Terapia Intensiva. Caso permaneçam os fortes sintomas, repetir por mais 1 dia a mesma dosagem de limões e observar as reações do corpo.
Se ainda assim permanecer uma sintomatologia de elevado incomodo, interromper o tratamento e recomeçar na semana seguinte do ponto zero.
Aproveitar esta semana de intervalo para alimentar-se de forma mais leve e natural, ingerindo mais frutas, brotos, folhas, sementes e cereais integrais.

A Terapia Leve
Este procedimento é possível para crianças que nunca praticaram a Terapia Intensiva do Limão e cujos pais têm medo de não conseguir levá-la até o final.
Trata-se de uma terapia de adaptação ao tratamento intensivo, que pode também ser planejada sempre que necessária uma limpeza mais rápida e superficial do organismo.
A Terapia Leve, como no exemplo a seguir, pode ser de 3, 5, 7, 9 ou 11 dias.
Um exemplo: Terapia Leve de 5 dias. Iniciar com o consumo de 1 dose (15 ml para crianças de 1 a 7 anos ou 30 ml para crianças acima de 8 anos), no segundo dia são 2 doses, e no terceiro dia são 3 doses. No quarto dia reduzir para 2 doses e, finalmente, 1 dose no quinto dia.

Como preparar o suco fresco?
O espremedor de limões é o mais prático e rápido.
Mas, a melhor forma de preparar o suco fresco dos limões é na centrífuga (ou liquidificador), quando é possível aproveitar melhor as suas fibras.
Primeiro descascar os limões deixando aquela polpa branca da entrecasca, que é riquíssima em pectina, uma fibra hidrossolúvel muito benéfica aos intestinos. Cortar a fruta ao meio, retirar as sementes (se houverem) e passar na centrífuga. Recolher o suco, se possível, num copo com graduação de volume.
Quando usar o liquidificador, metade dos limões deve ser espremida e a outra metade descascada e picada. Bater e coar.
Qualquer que seja a forma escolhida de preparo o suco deve ser servido imediatamente após o seu preparo.

Posso diluir o suco?
NÃO. O correto é o suco puro e fresco do limão. Entretanto, pode acontecer da criança não aceitar o suco puro de jeito algum, embora, se tomado com canudinho, esta possibilidade será muito reduzida. Neste caso, há que respeitar a sua dificuldade e usar este mesmo recurso através de um outro alimento desintoxicante e alcalinizante como a uva ou a laranja, usando a mesma tabela e volumes.
Outra opção é o consumo diário do suco fresco de 1 limão batidos com frutas e folhas verdes, que são os chamados sucos desintoxicantes.
Diferente do tratamento leve ou intensivo, o uso diário dos sucos desintoxicantes em jejum é uma dinâmica DIÁRIA e contínua, mais sutil e suave, porém também de elevado poder terapêutico e preventivo.
- Ao manusear o limão ou qualquer fruta cítrica, deve-se lavar muito bem as mãos e o local onde foi realizado o uso externo, antes de expor-se ao sol. O suco e casca das frutas cítricas contém substâncias foto-sensíveis, ou seja, a presença de resíduos do limão na pele em contato com raios solares irá provocar manchas escuras na pele, e até mesmo queimaduras mais sérias. E, mesmo com a pele muito bem lavada, evitar tomar sol diretamente. Não esquecer do filtro solar.
- Uma dica: ingerir o suco com canudo para evitar o contato com os dentes e também o sabor acentuado que permaneceria na boca.
- Não adoçar o suco do limão com açúcar ou qualquer adoçante.


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


trucom
Conceição Trucom é química, cientista e escritora sobre Alimentação Baseada em Plantas, considerada como Alimentação do Futuro: vitalizante e regenerativa.
Portal: www.docelimao.com.br
Visite o Site do Autor

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Corpo e Mente clicando aqui.


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa