Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade

Não estamos sozinhos

Não estamos sozinhos
Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp


Quantas vezes não passamos por momentos complicados que nos causam tanta dor?

Muitas vezes, nem sabemos explicar exatamente o que estamos sentindo.

É uma tristeza que chega de repente, fazendo com que fiquemos fragilizados e nesses momentos até lágrimas podem rolar de nossa face.

Outras vezes, é a dúvida que nos assola o coração; não sabemos o caminho a seguir e a aflição cresce dentro de nós.

Em outros momentos, é o medo que chega, paralisando nossas forças e nos fazendo crer que não somos capazes de continuar a caminhada, que os espinhos são muitos e não conseguiremos vencê-los.

E quando é o corpo que padece nos causando dores físicas e mentais? As pedras do caminho são tantas que parece que não iremos conseguir prosseguir.

E se a dor atinge nossos entes queridos? Nos sentimos impotentes e sozinhos.

Há instantes, que somos envolvidos por uma tempestade que destrói muito dos nossos sonhos e até parece nos tirar o chão.

Os pensamentos negativos se aproximam e como é difícil combatê-los.

As adversidades se acumulam, os ataques surgem de todos os lados e as provas da vida são tantas, que muitas vezes, pensamos sim, que não seremos capazes de enfrentá-las.

E muitas vezes até acreditamos que o melhor é abandonarmos a jornada, deixamos de ser cooperadores do Pai em sua seara.

Quem já não pensou em desistir? Já não se desesperou? Se achou sem forças para prosseguir?

Porém, não importa o momento pelo qual estejamos passando, nunca estaremos sozinhos.

Haverá sempre uma luz a nossa frente, buscando nos guiar.

Mas para que possamos enxergá-la, precisamos também fazer a nossa parte.

Precisamos a todo instante manter a fé acesa dentro de nós, porque se não houver fé, como iremos compreender as respostas do Pai? Porque Ele sempre responde nossas indagações.

Precisamos ter a fé como companheira de jornada, a cada manhã, buscá-la dentro do nosso íntimo e mantê-la acesa, por onde tivermos que andar, independente da situação que tivermos que enfrentar.

Precisamos também, aliar a fé à perseverança, porque sem ela, como iremos conseguir prosseguir e enfrentar as dificuldades?

A perseverança também deve acompanhar cada passo que tivermos que dar, mesmo que caíamos, devemos ter a perseverança necessária para levantarmos e seguirmos adiante.

Precisamos confiar que quando uma prova se apresenta a nossa frente, somos sim capazes de superá-la e nos tornarmos mais maduros espiritualmente, basta que encaremos a dor como aprendizado e não como carrasco.

Provas e expiações são necessárias e contribuem para a evolução do nosso Espírito. Por isso, não podemos nos deixar envolver pelo pessimismo.

Quando pensamentos nocivos vierem ao nosso encontro, ao invés de abrirmos as portas para eles, fechemos nossos olhos por alguns instantes e enxerguemos a figura do Mestre de braços abertos a nossa frente, certamente iremos iluminar nossa mente e combater qualquer negatividade.

Quando a raiva se apossar do nosso ser, não percamos a nossa paz interna, mas sim, busquemos o silêncio da prece verdadeira e aos poucos, sentiremos uma harmonia a nos envolver.

Se cometermos erros, se ainda não aprendemos determinadas lições, não nos condenemos, continuemos, perseveremos, recomecemos quantas vezes forem necessárias, porque o Pai sempre estará a nossa espera e cabe a cada um de nós chegar até Ele, independente do tempo que demore.

Não olvidemos de nosso potencial interno, até admiremos as pessoas perseverantes, mas lembremos que dentro de nós também há muita luz e assim recordemos as palavras do Mestre: “ Sois deuses”.

Diante das fragilidades ainda não vencidas, ao invés de lágrimas, compreendamos que estamos em processo de evolução e a reforma íntima se faz passo a passo, o importante é jamais desistir.

Quando acordarmos sentindo que o fardo é pesado demais, ao invés da melancolia, conversamos com o Pai, exponhamos nossas angústias e receios e sintamos Seu auxílio, porque Ele não nos abandona.

Se fatos do cotidiano desgastam nossa serenidade, não desistamos, tenhamos fé, porque não ficaremos desamparados e o sol voltará a brilhar em nossa vida.

Quando possível, sejamos o farol a iluminar o caminho daquele que sofre, porque lá adiante, também teremos nosso caminho iluminado.

Acordemos com a fé ao nosso lado e se ela não estiver, busquemos por ela em nosso íntimo, não deixemos que a descrença nos contamine.

Façamos também da vigilância uma companheira constante. Porque só com a vigilância podemos reconhecer os ataques das trevas que tentam a todo custo nos envolver e fazer com que desistamos de trilhar o caminho do bem.

Mas se usarmos os ensinamentos do Mestre, a tudo venceremos e as trevas não poderão nos atingir.

Não importa o fato que abala a nossa vida, tenhamos fé.

A vida irá se renovar, as lágrimas cessarão, o desespero irá embora, as fraquezas físicas e espirituais serão vencidas.

Mas tenhamos fé, a cada instante, seja de alegria ou tristeza.

A fé em nosso potencial interno e no Pai que não nos abandona.

Busquemos e compreendamos os bens espirituais porque são eles que serão nossos escudos contra qualquer negatividade.

Caminhemos, mesmo que a passos curtos, o importante é a perseverança, continuemos nossa jornada entre espinhos e flores.

Um novo amanhecer irá surgir, mas se faz necessário que no hoje continuemos nosso caminho, só assim, um novo horizonte despontará a nossa frente.

Sigamos em frente.

E lembremos sempre: Não estamos sozinhos!

Sônia Carvalho
[email protected]
Publicado em:




As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.


Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa