auravide auravide

AUTO-ESTIMA E STRESS



Devido a um processo de banalização orquestrado por setores que se alimentam da ignorância popular, muitos termos que nominam assuntos importantes têm sido tratados, principalmente pela mídia televisiva, de modo irresponsável, desinformando e causando danos a muita gente. Um desses termos é o stress que muitos inadvertidamente têm utilizado genericamente para definir diversas sensações de desconforto, resultando em que muitas dessas situações de desequilíbrio físico ou emocional, por receberem tratamento inadequado, superficial ou paliativo, às vezes, tornam-se patologias crônicas provocando danos maiores à saúde de seus portadores.

O psiquiatra americano Richard Rahe, que é especialista no assunto diz: “As pessoas hoje em dia utilizam a palavra stress para dizer que estão perturbadas, frustradas, impacientes. Muitas vezes, resumem seus problemas como se tudo fosse stress. Não é bem assim. O stress só existe como um fator físico ou psíquico para quem se torna incapaz de lidar com os problemas que naturalmente aparecem em sua vida. Esse é o ponto crucial. O momento exato para prestar atenção naquilo que está causando o mal estar”. Perguntado se o stress é uma doença, responde o especialista: “Não é uma doença, mas pode levar uma pessoa a ficar doente. Um exemplo é o infarto, uma das principais causas de morte no planeta. O stress muitas vezes desencadeia uma série de fatores fisiológicos que acabam provocando o aumento da pressão arterial, dos níveis de colesterol no sangue e da arritmia cardíaca. O stress torna as pessoas presas fáceis para doenças e também prejudica a sua recuperação”.

Diante das afirmações de Richard Rahe sobre o stress, é possível chegar à conclusão de que é necessário estar preparado para enfrentar as situações estressantes agindo preventivamente, cuidando de manter o corpo em bom estado físico e, o que é mais importante, dando atenção ao equilíbrio emocional, pois quanto mais se aprende a controlar a ansiedade e a tensão, mais eficaz é o combate ao stress e às suas conseqüências. Partindo do princípio de que uma auto-estima saudável é elemento básico para criar harmonia existencial, é possível afirmar que ela também é determinante no combate às causas do stress. Isto porque a pessoa de auto-estima elevada, que gosta mais de si mesmo e se autovaloriza, com certeza estará mais habilitada para fazer face às circunstâncias que possam gerar algum tipo de desconforto, ao passo que aquela que estiver com a auto-estima baixa provavelmente terá maior dificuldade de reação.

Concluindo, não se trata de apontar a auto-estima como remédio para todos os males, mas de chamar atenção para o fato de que ela, quando em equilíbrio, traz o benefício de estimular estados conscientes de bem estar, o que é essencial para viver com maior leveza e serenidade; sem stress!

Boa Reflexão para você.

Texto revisado por Cris
Publicado dia 17/8/2007

  estamos online

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 8



foto-autor
Autor: Willes S. Geaquinto   
Willes S. Geaquinto - Psicoterapeuta, Consultor Motivacional. Com método próprio trabalha com a Terapia do Renascimento promovendo o resgate da autoestima, o equilíbrio emocional e solução de transtornos e fobias. Palestras e Cursos Motivacionais(relação de palestras no site). Contato: (35) 99917-6943 site: www.viverconsciente.com.br
E-mail: willesterapeuta@bol.com.br | Mais artigos.

Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade











auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa