auravide auravide

Intimidade e Comunicação Assertiva



Você se sente satisfeito com o grau de intimidade que desenvolveu com seu parceiro/ parceira?
Você sente que essa intimidade vem se desenvolvendo de forma ascendente, nutritiva? Ou vem decrescendo e minando a energia entre vocês?

A relação de intimidade com o parceiro pode acontecer de forma espontânea e é fácil de ser observada quando o amor e a paixão entre o casal estão no início.
Neste momento, os parceiros sentem-se em total sintonia, valorizam as afinidades entre eles, encontram tempo para desfrutarem dos programas afins, compartilham os sonhos e sentem-se livres para expressar suas opiniões e sentimentos, pois há uma aceitação do outro como ele se apresenta e pouco ou nenhum julgamento é feito, é como se usassem "óculos cor de rosa"  - ou seja, estão sob os efeitos da lente do coração e, mesmo que estas atitudes não sejam de todo conscientes, elas favorecem uma comunicação mais assertiva mais relaxada, mais fluida.

Observamos também que com o passar do tempo, essa intimidade pode descambar e levar o relacionamento em derrocada e vamos ver isso acontecendo, quando inicia o processo de não aceitação do outro da forma como ele é; quando se cria expectativas demais e estas não são atendidas; quando colocamos os óculos do julgamento que valorizam e ampliam as características negativas do outro; quando começamos a criticar e apontar defeitos e imputar culpa para o outro, ao invés de expormos nossa vulnerabilidade e dizer como nos sentimos diante das atitudes e comportamentos dos nossos parceiros (as).

Uma dica para não cair nessa cilada ou para sair dela é: quando estiverem discutindo questões delicadas, tentem usar a palavra "eu", pois a palavra "você" pode facilmente expressar uma ideia de acusação e incitar muitas projeções. As pessoas tendem a se fecharem a fim de se protegerem quando ouvem acusações, julgamentos ou condenações e esse fechamento interrompe o  fluxo de comunicação, o outro se desliga, para de ouvir.

Um exemplo do uso da palavra "eu" pode ser algo assim:  ao invés de dizer "você está me magoando", diga: "eu estou magoado" e olhando fundo dentro de você, vasculhando as raízes desta mágoa, poderá descobrir que o padrão deste sentimento  esteja lá há muito tempo. Resgate a primeira lembrança associada a este padrão e descreva em voz alta. Ao expor as origens dessa forma, a questão deixa de ter a mesma carga emocional, como em um passe de mágica, você estará livre para ser mais espontâneo e consciente da energia vital no momento presente; agora, em vez de reagir, você poderá responder.

Muitos estudos e renomados terapeutas afirmam que quando um dos parceiros tem a coragem de expor sua vulnerabilidade, o outro sentirá, automaticamente e, em qualquer circunstância, haverá um transbordamento de amor e compreensão e, por sua vez, abrirá seu coração.

A acusação é uma arma de defesa e usá-la fará com que ambos os parceiros se fechem e fiquem na defensiva. A exposição por outro lado, leva a abertura e, por meio dela, a comunhão passa a ser possível. Experimente se abrir e expor seus verdadeiros sentimentos para seu parceiro (a) e também ouvir o seu parceiro (a) de coração aberto sem julgamentos, acolhendo sua vulnerabilidade. Namastê.

Antar Gasha

Terapeuta Corporal - Vitória/ES. 27 99901-5198


Publicado dia 4/11/2018
  estamos online

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1



foto-autor
Autor: Antar Gasha   
Terapeuta Tântrica - Terapeuta Corporais Bioenergética - Master Coach e pós graduanda de docência e Prática da Meditação
E-mail: antar.gasha@gmail.com | Mais artigos.

Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade











auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa