Ou você controla as suas finanças ou elas poderão controlar você

Autor José Alves - joseluisalves7@icloud.com

No controle das suas finanças e não o oposto.

Talvez seja a primeira vez que você leia algo que lhe diz: Você controla as suas finanças e não as suas finanças controlam você.

Em 2019, uma matéria da veja publicou que 62 milhões de brasileiros estão endividados. É claro que fatores externos como desemprego, baixa renda interferem e prejudicam o orçamento. Só que não é sobre isso que vamos falar. O que vamos falar é sobre o hábito de controle de finanças.
É um número alto e ao mesmo tempo também se torna compreensivo. O hábito de controle de finanças não é algo popularizado. Imagine que você foi ensinado que não você tem controle nenhum sobre o seu dinheiro.

Como você então administraria as suas finanças?

Provavelmente você não administraria.

Você é uma pessoa que controla os seus gastos ou você é controlado por eles?

Por muito tempo, perdeu-se o controle, e esse foi o resultado. Algumas pessoas estão extremamente endividadas. O ensinamento básico sempre foi que “dinheiro é feito para se gastar”. Um ensinamento como este, se não for muito bem compreendido, pode levar uma pessoa ao endividamento.

E foi isso o que aconteceu. Pessoas acabaram gastando muito mais do que poderiam ter gasto.
A maioria saiu por aí acreditando não ter nenhum controle sobre as suas finanças e gastando sem pensar nas consequências.

O assunto dinheiro é delicado, e nada pode deixar alguém mais irritado do que um confronto com crenças sobre dinheiro. E isso nem será falado, não falaremos sobre as crenças negativas que foram construídas em cima do dinheiro. Falaremos do hábito em administrar bem as suas finanças.

Portanto, pense neste artigo como algo que talvez possa lhe servir e talvez não. Talvez você não esteja na lista dos endividados, então parabéns. Agora, se você está, saiba que se você quiser, você poderá sair.

Quer você aceite ou não, você é o único responsável pela sua situação financeira.

Talvez você dirá: Bem, se eu quiser gastar tudo e fazer com o meu dinheiro tudo o que eu quiser, isso é um problema meu. Sim, você está certo. O dinheiro bem como tudo em sua vida, é um problema seu.

Agora, se você faz parte daqueles que estão mais abertos e acreditam na mudança, talvez você goste de ler.

Talvez, você perceberá que existe uma diferença entre ter um prazer imediato ou ter escolhas mais conscientes em relação ao dinheiro que podem literalmente nos livrar de qualquer tipo de endividamento. E a ideia é exatamente essa. Trazer informação sobre o controle de finanças para não se criar dívidas ou para poder pagar as já existentes. Se você é rico e você tem fortunas para gastar, tudo bem, você está em outra realidade. Não é para você.


Agora, se você é também como eu, que tem que administrar e lidar bem com o dinheiro que ganha, talvez você já saiba que ou você controla o seu dinheiro ou ele irá controlar você. E se você não sabe, poderá aprender se quiser.

Não podemos negar, que a grande maioria dos humanos vivem realidades que se não administrarem bem as suas finanças, poderão ser controladas por impulsos inconscientes que literalmente podem levar ao endividamento. Essa estatística de endividamento, mostra claramente que o controle sobre o que se ganha e o que se gasta, não foi usado. O impulso inconsciente em gastar mais do que se ganha, foi maior no passado. E o resultado é o que ninguém gosta. Dívidas e o pior: cobranças intermitentes.

A sugestão para quem se encontra em uma situação como essa, é ter clareza que você pode mudar e transformar qualquer situação. O seu comportamento no Agora, irá lhe mostrar claramente qual é a sua real intenção. Se for um comportamento positivo, você perceberá que pode mudar qualquer realidade.

Se por vezes, todos nós acabamos perdendo um pouco o controle, isso não quer dizer que precisamos perder o controle sempre. Não existe lei que diga que temos que fazer sempre as mesmas coisas. “Um filho não nasce hoje. O filho feito hoje, nascerá daqui a nove meses.”

É como o cartão de crédito. A fatura sempre chega.

É um fato que todos nós gostamos de viver bem. E isso é ótimo, desde que o viver bem não crie ou possa causar o acumulo de dívidas. Não estou julgando ou criticando ninguém, agora é um fato que muitas pessoas acabaram perdendo o controle e gastaram muito além do que poderiam naquele momento.

Se você é uma dessas pessoas, por favor, não se sinta culpado. O importante é que você pode aprender e mudar.

Agora imagine você, uma pessoa que perdeu o controle quase que todos os dias? Como será a vida financeira dessa pessoa? Não é preciso responder. Provavelmente e dependendo do quanto essa pessoa ganha, ela poderá se endividar.

A boa notícia, é que sempre existe uma boa saída. Se você começar agora, logo você poderá mudar a realidade financeira por meio de novas atitudes e novos comportamentos. Isso é o que eu chamo de saída não mágica. Você sabe da sua magnificência e do quanto você merece ser próspero, no entanto, você não age impulsivamente. Sim, você pode controlar o que você compra e o quanto você compra. Você controla o seu dinheiro e não o oposto.

Você percebeu nos últimos dias, que apareceram na mídia, diversos participantes e ganhadores de prêmios de reality show que literalmente gastaram tudo. Algumas até pareciam estarem “orgulhosas” de terem gasto tudo o que ganharam com a justificativa de que viveram.

Eu sugiro que você repense e veja se isso é verdade. Quem gostaria de ter recebido um prêmio e terem gasto tudo a ponto de ficarem sem nada?

Alguns mais conscientes, reconheceram e afirmaram que se ganhassem novamente, as escolhas certamente não seriam as mesmas. Resumindo: Jamais sairiam novamente gastando tudo.

Pergunta: Será que temos que aprender por meio da dor ou é possível aprender sem dor? É claro que não precisamos passar por isso se quisermos.

Então, se você está endividado, aqui vão algumas dicas;

Eu preciso realmente comprar isso?
E se eu controlar o impulso agora em gastar mais, como eu vou me sentir? O quanto isso me beneficiaria no futuro?

Eu tenho dívidas para pagar? Se sim, eu posso economizar para ir pagando? Eu tenho meios de fazer isso? O que eu terei que fazer nos próximos meses para ter controle financeiro?

Como foi no passado? Eu controlei minhas finanças ou elas me controlaram?

Eu estou consciente de que posso mudar agora, ou ainda acredito que tudo precisa ser igual ao que foi no passado?

Perceba, você pode mudar os seus comportamentos para estar no controle de suas finanças.

Talvez você pergunte ou se pergunte: Quem é você José Alves, para estar escrevendo sobre finanças?

Bem, eu lhe respondo: Eu sou alguém que teve que aprender que se eu continuasse a gastar mais do que ganho eu iria passar vidas na mesma situação. Eu aprendi que na hora da venda tudo é muito fácil, e que se eu não me controlasse, poderia contrair “dores de cabeça” indesejadas. Vamos ser honestos. Quem já passou por isso sabe. Atender uma ligação de cobrança é algo muito desconfortável.

Sim, eu estudei muito sobre finanças, e sou inclusive um coaching financeiro e estudo gestão financeira. Agora, não foi exatamente esse conhecimento todo que acabou resultando em uma realidade financeira bem diferente. O que realmente me ajudou a ter uma vida bem mais equilibrada financeiramente, foi o conhecimento mais simples de que eu jamais poderia gastar mais do que eu estou ganhando no momento, e que seria ótimo se eu controlasse alguns gastos desnecessários. Caso contrário, eu teria que lidar com dívidas. E para isso, não foi necessário usar um monte de estudo e teorias. É claro, você pode buscar livros bons que ensinam como lidar com o dinheiro. Agora, é tudo tão simples que até parece ser muito fácil para ser verdade. E é.

Até breve.

Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Avaliação: 5 | Votos: 4

Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp

Autor: José Alves    
Contato: joseluisalves7@icloud.com
E-mail: joseluisalves7@icloud.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Atualizado em 14/01/2020



© Copyright 2020 ClubeSTUM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso.