auravide auravide

O peso da pobreza

por Wilson Francisco

Publicado dia 11/9/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Eu gostaria de dizer uma coisa, Wilson, não estou sabendo como agir com essa situação. Ontem veio aqui na empresa um homem, desses que vivem pela rua, bêbado. Queria levar umas sucatas... A energia dele é tão pesada que até senti tontura, achei que era outra coisa, hoje ele voltou e aconteceu de novo, estou me sentindo mal até agora. Como devo agir, como não absorver esta energia?

Realmente, há pessoas de rua que têm energia pesada, por isso vivem nesse universo de desconforto e solidão. A miséria tem várias causas, vista no aspecto humano é um problema social, mas também pode ter como origem vários outros motivos.

Uma queda econômico-financeira é uma delas. Tive oportunidade de encontrar pessoas assim, debaixo das pontes ou andando a esmo pelas ruas. Um desacerto emocional, uma perda de emprego, noutras vezes muda-se de uma cidade para outra e se desalinha, perde suas referências, então acaba se ocultando nos porões da metrópole, desatencioso consigo e desacreditado da vida. Há também aqueles que tiveram desilusões amorosas, não desenvolveram o amor próprio, e acabam isoladas das pessoas e do mundo.

A respeito do pobre, digo à minha amiga, “não se sinta tão incomodada, faça o seguinte processo: receba essa energia, sem medo nem restrição, como se você estivesse passando a mão na cabeça de um doente no hospital ou então ouvindo as lamúrias de uma mãe aflita e depois redirecione essa energia para o Universo, como se você estivesse soprando bolhas de sabão para o ar. Assim você estará tirando dessa alma um pouco do peso que ela carrega. Além disso, quando você liberar o que atraiu dele, tirará também de seu corpo algumas outras energias que outras criaturas lançam para você e que, na essência, não são tão diferentes”.

A propósito, estou lendo um livro e nele consegui entender um processo inusitado, sobre o qual eu tinha uma leve noção e que ficou muito claro com essa leitura. Há seres no mundo espiritual cuja função é absorver as energias de insanidade emocional de homens e mulheres dominados por impulsos sexuais desajustados. São criaturas que ocupam posições sociais ou religiosas de destaque, pessoas comuns da sociedade, com esposa e filhos, mas que guardam em seu íntimo “desejos” irracionais. Como não podem ou não se permitem ou ainda não conseguem “saciar” sua vontade instintiva, irradiam essa energia em devaneios, sonhos etc e tal, deixando na atmosfera essas forma-pensamentos, miasmas, bactérias altamente infectantes, que poderiam comprometer demais a saúde mental da humanidade.

Então, seres que em experiências passadas se desvairaram na sexualidade e que hoje procuram a reinclusão de si mesmos, estabelecendo projetos de regeneração, recebem essa “missão” de receber em seu corpo energético essas bombas mentais que afetam, maltratam, mas que são, na verdade, oportunidades iluminadas para que aprendam a se envolver com o Bem.

Pois é, de repente, essa amiga minha, naquele “encontro” com o mendigo, pode ter funcionado como uma usina de reciclagem, para “limpar” aquela alma e por tabela, também vai pulverizando a sua alma.

Quando eu era jovem, conheci nas redondezas de minha casa um homem que vivia pelas ruas, maltrapilho, catando dos lixos o alimento para o seu dia-a- dia. Era um andarilho, não mexia com ninguém, apenas passeava pelo bairro, numa solidão incrível. Um dia, resolvi fazer uma vibração, como é habitual nos Centros Espiritas, em favor daquela criatura e coloquei um papelzinho na mesa, com o nome Andarilho. Logo a seguir, quando começaram as manifestações dos Espíritos, um deles se apresentou muito nervoso, aflito. E declarou enfaticamente que ninguém ia tirar aquele sujeito da rua, foi assim que se expressou, irradiando uma energia de ódio intenso. Foi atendido e na conversa revelou que fora traído por aquele homem em vida passada, perdendo a esposa, filhos e a casa. Por tudo isso, decidira puni-lo, fazendo com que ele sofresse na pele o peso da solidão. A conversa se estendeu, ele se manteve resistente e depois foi embora. Dias depois, procurei pelas ruas o andarilho e não mais o vi. Sumira. Não sei o seu destino, mas acredito que ele pode ter sido desalgemado daquela aliança de ódio que se envolvera.

Esse contato do Espírito com o mundo físico, através de um médium pode dar resultado, é um choque que ele toma, quando se depara com a realidade das atitudes que está realizando. No entanto, entendo que o processo de catalização feito pelas pessoas, independente de mediunidade ou crença, seja um outro caminho que o Universo está encontrando para melhorar a ecologia mental do Planeta.

Uma coisa é certa, sempre deve haver um motivo especial para uma pessoa ficar por aí, andando sem rumo, catando lixo para comer ou dormindo debaixo das pontes.

E fico a pensar que pode ser uma boa, isso de a gente refletir como poderá estar uma criatura que a gente puniu, amaldiçoou ou julgou. Ou então se colocar no lugar dela. Você tem exata noção do quanto a sua palavra pode afetar uma pessoa? Eu tive oportunidade de encontrar nesses desvios do mundo, criaturas até jovens, toda desorientadas e desalentadas, porque sentia que fora amaldiçoada por alguém e a condenação foi se consumando, dia após dia, enquanto ela ia arremetendo seu corpo e alma para a areia movediça da miséria moral, sem forças para resgatar sua dignidade.

Um pai, que faz imprecações contra um filho, dizendo que ele é um miserável, inconseqüente. Imaginem o peso de uma sentença desse tipo. É uma condenação, àvezes, sem limites. Sim, é verdade, você pode acreditar. Há muitas criaturas aí pelas ruas, debaixo das pontes, sofrendo a condenação de palavras ditas em um momento de fúria. Quem de nós não terá em sua lembrança, uma palavra desse tipo, monitorando, muitas vezes, atitudes, desfibrando seu caráter, empurrando-a para os abismos da demência moral?

Claro, há também as palavras/alavancas, que permanecem em nossa atmosfera mental e emocional, criando oportunidades de coragem e determinação por toda nossa vida.
Pense nisso. Antes de acusar, de diagnosticar as causas disso e daquilo, pense bem...

Texto revisado por: Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 196

foto-autor
Sobre o Autor: Wilson Francisco   
Terapeuta Holístico. Desenvolve processo que faz a Leitura da Alma; Toque Quântico para dar qualidade à circulação e aos campos vibracionais; Purificação do Tronco Familiar e Cura de Antepassados para Resgatar, Atualizar e Realizar o Ser Divino que há em você. Agendar pelo WhatsApp 011 - 959224182 ou pelo email [email protected]mail.com
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Treinando a não-mente
artigo Horário
artigo Ativação dos sentidos interiores
artigo Amigos extrafísicos

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa