Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

Os quatro elementos

por Graziella Marraccini
Os quatro elementos
Publicado dia 10/06/2009 12:15:43 em Astrologia

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

A astrologia ocidental nos ensina que podemos distinguir os signos astrológicos de várias maneiras: segundo os dois gêneros - em femininos e masculinos – segundo as três qualidades – Cardeal, Fixo e Mutável - e pelos quatro elementos – Fogo, Terra, Ar e Água. Entendemos por feminino e masculino as qualidades como sendo passiva, a primeira, e positiva a segunda, e eles se alternam na roda zodiacal. A combinação continua alternada para as outras qualidades e para os elementos, de modo que Áries é Cardeal, Masculino e de Fogo, Touro é Fixo, Feminino e de Terra, Gêmeos é de Ar, Masculino e Mutável, etc. Conseqüentemente e com todas as combinações possíveis, chegamos ao total dos 12 signos do zodíaco, cada um com suas características próprias.

Os quatro elementos não são somente símbolos ou conceitos abstratos, mas referem-se às forças vitais que se manifestam em toda a criação e que podem ser percebidas pelo sentido físico. Os elementos constituem a base da astrologia e de todas as ciências ocultas e abrangem também tudo aquilo que percebemos com o olhar, tudo aquilo que experimentamos. Consideramos que a terra é sólida, a água é líquida, o ar é gasoso e o fogo é plasma ou energia irradiada e, portanto, concluímos que a mistura desses elementos compõem tudo o que nos cerca. A medicina antiga já se baseava nestes quatro elementos para classificar os tipos humanos, associando-lhes certas doenças ou predisposições físicas e mentais. Por essa razão, a importância do elemento ao qual alguém pertence determina também sua manifestação psicológica e energética.

O conceito dos quatro elementos é também base da filosofia da medicina Ayurvedica, mas pode ser encontrado na medicina chinesa e japonesa, e era considerado base também da filosofia grega. Já na Europa da idade média e da Renascença, desenvolveu-se ainda mais a teoria dos quatro elementos, conectando-a com os quatro temperamentos básicos conforme os ensinamentos de Hipócrates. Segundo a doutrina dos quatro humores, o sangue é armazenado no fígado e levado ao coração, onde se aquece, sendo considerado quente e úmido; a fleuma, que compreende todas as secreções mucosas, provém do cérebro e é fria e úmida por natureza; a bile amarela é secretada pelo fígado e é quente e seca, enquanto a bile negra é produzida no baço e no estômago e é de natureza fria e seca.

A doutrina dos quatro humores (usada na medicina antiga) encaixava-se perfeitamente na concepção filosófica da estrutura do universo. Estabeleceu-se uma correspondência entre os quatro humores e os quatro elementos (terra, ar, fogo e água), e com as quatro formas de manifestação (frio, quente, seco e úmido) que também podem ser relacionados com as quatro estações do ano (inverno, primavera, verão e outono).
O estado de saúde do ser humano também dependeria da exata proporção e da perfeita mistura dos quatro humores, que poderiam alterar-se por ação de causas externas ou internas (a relação com o meio ambiente). O excesso ou deficiência de qualquer dos humores, assim como o seu isolamento ou miscigenação inadequada, causariam as doenças com o seu cortejo sintomático dos quatro temperamentos humanos específicos.
As filosofias orientais acrescentem, no entanto, um ‘quinto elemento’, o éter que relacionam ao espírito puro (Obs: é esse conceito que é usado no I’Ching e no Feng Shui) que poderia ser o SHIN dos cabalistas ou o Espírito Santo dos Cristãos. Mas voltando aos elementos básicos podemos contrapor também: o seco com o úmido e o quente com o frio e obteremos:


O temperamento bilioso ou colérico depende dos signos de Fogo que são: Áries, Leão e Sagitário. Conferem natureza ativa e intuitiva, excitável e temerária.
O temperamento nervoso depende dos signos de Terra: Touro, Virgem e Capricórnio; conferem disposição sensível e melancólica e caráter nervoso.
O temperamento sanguíneo depende dos signos de Ar: Gêmeos, Libra e Aquário, que têm tendências intelectuais e pensativas.
O temperamento flegmático (ou linfático) depende dos signos de Água: Câncer, Escorpião e Peixes, que possuem tendências sentimentais e emocionais.

Portanto, concluímos que a combinação desses elementos pode acontecer de várias maneiras, mas é difícil encontrar um individuo com todos esses elementos em igual quantidade. Através da análise do mapa astral natal, podemos conhecer qual será a ‘mistura’ que determinará o temperamento da pessoa, e que o inclinará a um tipo de doença e não a outra. O signo solar determina em grande parte a forma como iremos expressar esse temperamento, por identificação com o elemento no qual ele se encontra. Assim, os signos de Ar se identificam com o reino do pensamento e para eles o pensamento é tão real quanto qualquer objeto material. Os signos de Água vivem predominantemente no mundo dos sentimentos e seu estado emocional determina seu comportamento. Os signos de Terra são assentados no mundo material e as preocupações com a sobrevivência são básicas para a sua expressão. Os signos de Fogo vivem num eterno estado de excitação e a atividade é necessária para o seu bem estar.

Por essa razão o signo do Sol que determina como vemos a vida, não é suficiente para descrever nossa natureza, já que muitos outros elementos compõem nosso temperamento determinando sua força de expressão e comportamento. A palavra temperamento deriva do latim ‘temperamentum’ que significa uma ‘mistura de proporções’. A astrologia pode indicar o signo solar como padrão de identificação, mas é essa mistura, ‘a mistura dos diferentes elementos’, que determinará o resultado final. Afinal, um bolo é basicamente feito de farinha, ovos, leite, manteiga, etc. Porém, vejam quantas diferentes receitas podemos fazer com esses componentes! A astrologia atribui um determinado valor (ou peso) ao Sol, à Lua e aos planetas, assim, a predominância deles num determinado elemento irá determinar também a predominância do temperamento daquele indivíduo.

Bem, caros leitores, esse artigo parece um pouco complicado, mas o escrevi respondendo a um anseio de muitos internautas que me escreveram procurando compreender um pouco melhor essa maravilhosa ferramenta que é a astrologia. Não pretendo esgotar o assunto nos artigos publicados no site (que são muitos!), mas desejo sempre oferecer um pouco de conhecimento que ajudará os leitores a se compreender melhor e, ao mesmo tempo, àqueles que os rodeiam!
Já que ainda estamos no signo de Gêmeos, já amplamente descrito anteriormente, espero ter contribuído um pouco mais para que você, leitor, compreenda a natureza daquele seu amigo, filho, irmão, marido geminiano!
Aceitar as diferenças nos enriquece e torna mais fáceis os relacionamentos. Afinal, somos todos diferentes na manifestação, mas Somos Todos Um!

Uma boa semana cheia de Luz e Paz!




Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   horoscopo

starstarstarstarstar
O artigo recebeu 4 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp

Sobre o autor
graz
Graziella Marraccini é astróloga, taróloga, cabalista e estudiosa de ciências ocultas e dirige a Sirius Astrology. grabnn Atende em seu consultório em SP com hora marcada no horário comercial.
5 perguntas Frequentes, visite Canal do youtube e Facebook
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor

Veja também
artigo Você tem realmente esse tal Livre Arbítrio?
artigo Contrato com a morte
artigo Estesia
artigo A mudança deve ser interna





horoscopo


As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa