auravide auravide

Ensinamentos do Arcanjo Rafael - Parte 2


A vossa personalidade possui um grande potencial para reconhecer as ilusões e fantasias, seus erros, suas dificuldades e suas limitações.
Podeis questionar: então, o que está acontecendo?

Acontece que estais voltados para o lado infantil da vossa personalidade. Ela também possui um lado adulto e é com este que deveis trabalhar, expandir e dinamizar. Somente deste modo podereis melhor compreender as vossas mágoas, os vossos ressentimentos, as vossas raivas e desilusões, para depois vos perdoar.

Fixados no lado infantil da personalidade, estivestes olhando a vida como uma criança que sempre quer mais, que não se satisfaz com o que tem porque quer tudo, de uma forma inadmissível porque ninguém pode ter tudo, ou como uma criança ressentida que deseja punir a todos, sem exceção, porque sente raiva quando seus desejos não são satisfeitos e fica com muito ressentimento de todo mundo, não poupando ninguém.
Este lado infantil da personalidade está ligado à vossa infância e ainda se mantém ativo no inconsciente, comandando as vossas ações, as vossas emoções e os vossos pensamentos. Este lado infantil é negado e escondido porque hoje sois adultos, mas as emoções e os sentimentos daquela criança que fostes estão muito vivos dentro de vós, porquanto durante a vossa infância foram negados e rejeitados pelos adultos daquela época, que não souberam lidar com essas emoções porque, provavelmente, não sabiam lidar com as emoções que eles também tinham dentro deles.

Internamente, esta criança se sente aprisionada, mas ao mesmo tempo tem muito medo de se mostrar porque acumulou uma raiva muito forte; na verdade, uma grande fúria. Essa fúria criou e cria fantasias de destruição e de autodestruição. Na sua fantasia, essa criança furiosa é capaz de destruir o mundo com a sua raiva, com o seu ódio, com seus ressentimentos. Como disse, é uma fantasia, uma ilusão, porque ela não tem a capacidade de destruir os outros com a sua raiva. E enquanto alimenta essas fantasias, a personalidade debilita as forças naturais que possui para crescer, compreender e perdoar.
Por outro lado, essa criança também quer crescer, quer amar e ser amada, mas não se acha merecedora. Contudo, ela está enganada porque o amor é incondicional, ninguém precisa merecer amor para receber, pois o amor por natureza é incondicional. Para recebê-lo basta aprender a estar com o coração aberto.

Em resumo, estais alimentando a parte infantil da vossa personalidade, ou seja, aquela criança, e que sois vós mesmos, que ainda se sente carente, magoada, ressentida, arredia, invejosa, ciumenta, vingativa e furiosa e domina as vossas ações, emoções e pensamentos. Em conseqüência, usais muitas máscaras com o objetivo de negar tudo isto.

A personalidade não quer mudar porque não quer assumir a responsabilidade de transformar o seu lado infantil, ou transformar o velho em novo.
Somente uma decisão interna consciente de vos religar à alma e aos níveis de consciência e de sentimentos superiores vos levará a aprender a lidar com a parte infantil da vossa personalidade. (aqui termina a primeira parte)
Este é um trabalho muito importante e, na medida em que é iniciado conscientemente, o vosso lado adulto se fortalece para crescer ainda mais na direção do caminho da alma. E a partir daí muitas mudanças acontecem internamente.

Enquanto as mudanças não ocorrem é preciso tomar consciência dos processos transformativos que a alma dinamiza dentro de vós e vivenciá-los, senti-los. Nesses processos de transformação é que adquiris a consciência da parte infantil da vossa personalidade, quando tendes a oportunidade de reconhecer os vossos ressentimentos, as vossas mágoas, as vossas raivas e ódios, os medos e as inseguranças. Esta é uma etapa muito importante. A Luz não poderá se manifestar na vossa personalidade, que é um veículo da alma, enquanto essas emoções inferiores estiverem encobertas por máscaras, bloqueando a força amorosa da alma.

Assim sendo, a personalidade se comporta normalmente como uma opositora ao desenvolvimento espiritual. Muitos constatam isto no momento em que procuram contatar a alma e o Mestre Espiritual, ou mesmo quando desejam meditar. Sentem uma grande dificuldade em se tranqüilizarem e em se concentrarem, percebem muitos tipos de incômodos internos, mas não entendem o que ocorre.
Na realidade, estes incômodos sinalizam a presença da parte infantil da personalidade, ou melhor, quem vos atrapalha é aquela vossa criança interna insatisfeita e é muito importante saber lidar com isto.

Quando conseguis relaxar por meio da respiração correta, e vos sintonizais com o vosso chakra cardíaco, estais vos voltando para dentro de vós. Como essa criança está escondida, entrincheirada, aprisionada, sufocada, ela salta na vossa frente no instante em que não há nenhuma pressão sobre ela porque estais relaxados. É bom esclarecer que ela representa uma gama de energias que estão dentro de vós e que não estão resolvidas; são emoções que trazem inquietação, bloqueio, mágoa, raiva, discórdia, rebeldia. Porém, nestes momentos é que tendes a oportunidade de identificá-las e de encarar esta parte infantil de frente. Podeis começar por conversar com esta criança, que sois vós mesmos, para saber o que ela manifesta.
Ao admitir esta possibilidade estareis entrando em contato convosco e com aquelas dificuldades emocionais que formam uma grande resistência interna ao desenvolvimento espiritual e a uma união entre a personalidade e a alma.

Conversar com esta criança, a parcela infantil da personalidade, é muito simples. Após o relaxamento e a sintonização com o vosso chakra cardíaco podem surgir sensações inesperadas, como um nó na garganta, ou uma inquietação interna, ou um desconforto interno inexplicável, uma vez que já estais relaxados. Então, mentalmente, podeis visualizar a vossa criança bem na vossa frente e fazer as perguntas necessárias para esclarecer as energias emocionais que ela está trazendo.
Podeis investigar, por exemplo:

O que você está sentindo?
O que você tem?
Por que você está triste?
Por que você esta com vontade de chorar?
Por que é que você tem medo?
Por que esta tão assustada?

Deveis silenciar a mente e esperar que as vossas emoções se revelem através dessa imagem da criança, que sois vós mesmos. Na medida em que as emoções brotarem dentro de vós, sentireis medo ou insegurança, ou culpa, ou raiva, ou mágoa, ou outras emoções.Não deveis sentir vergonha, nem muito menos segurar as emoções, pois o único modo de reconhecê-Ias é sentindo-as, a fim de melhor identificar as vossas dificuldades. Então, podereis conversar com essa criança e dar a ela outros horizontes.
Podeis dizer mentalmente a esta criança, e que é uma parte de vós mesmos, por exemplo:
Não tenha medo, nada vai acontecer com você porque eu não vou deixar! Eu não vou permitir que ninguém machuque você! E se você não sabe por que está triste, ou por que você está com tanta raiva, eu também não sei no momento. Mas vou procurar saber porque estou muito interessado!

Outro exemplo:
Ninguém mais vai desrespeitar seus sentimentos. No passado, você sofreu por não se sentir compreendida. Mas hoje é diferente, estamos juntas e não vou permitir que ninguém mais faça isto.

Em resumo, tereis uma conversa sincera com essa criança, e de acordo com as necessidades do momento, para conscientizá-la que: o que ela pensa e acredita foi formulado a partir de uma mente infantil, que não sabia o que fazer quando as coisas não iam bem, ou quando não aconteciam do modo que desejava, porque naquela época (infância) não existiam outras saídas e soluções. Ela simplesmente não sabia e não tinha nenhuma obrigação de saber. Porem, hoje há outras alternativas e é possível aprender, crescer; evoluir, desde que ela colabore com a vossa parte adulta, para buscar na alma todos os recursos que ela necessita para se sentir amada, aceita e valorizada nos seus sentimentos verdadeiros.

No momento em que vos posicionardes internamente com o objetivo de que a vossa parte adulta cuide da vossa parcela infantil, vos sentireis mais à vontade para admitir que possuís emoções difíceis e ficareis conscientes da necessidade de trabalhá-las e transformá-las. Elas representam resistências ao vosso crescimento emocional e mental. São obstáculos que impedem a entrega às energias amorosas da alma e ao contato com o vosso Mestre Individual. Ficais estagnados espiritualmente porque a mente inferior continua presa às emoções infantis, tais como a raiva, os ressentimentos, as mágoas, os medos, etc. E com tamanha carga emocional negativa, a personalidade não consegue reter energias superiores por muito tempo. Por alguns momentos consegue, mas quando as situações do dia-a-dia fomentam as emoções inferiores, o desequilíbrio interno aumenta, há dor e sofrimento, além de um estado interno muito confuso, que gera culpa na personalidade e aumenta a divisão interna.

A atitude de utilizar o lado adulto da personalidade para dialogar com o lado infantil traz um grande alívio interno, pelo fato de dar consciência das dificuldades antes negadas, mas também por tornar possível utilizar as capacidades, potencialidades e recursos naturais e que todos possuem, para sair dos próprios labirintos internos, ou do seu caos interno.

* Lourdes Rosa é coordenadora da Escola de Sabedoria Universal da Síntese, localizada em São Paulo, onde são realizados os trabalhos de canalização. Para saber mais acesse: link


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


elisa
Elisabeth Cavalcante é Taróloga, Astróloga, Consultora de I Ching e Terapeuta Floral.
Atende em São Paulo e para agendar uma consulta, envie um email.
Conheça o I-Ching e Faça uma consulta online
Visite o Site do Autor

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Espiritualidade clicando aqui.


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa