auravide auravide

Receita de saúde e longevidade segundo a medicina chinesa - Parte 2


Para os antigos sábios da cultura chinesa, a prevenção de doenças é como governar um estado: não adianta tentar evitar uma revolta quando ela já tiver estourado.
Segundo este conhecimento ancestral, codificado no Tratado de Medicina do Imperador Amarelo, o yang Qi da natureza e o yang Qi no corpo estão estreitamente ligados, portanto, a harmonia entre os dois e o equilíbrio yin/yang no corpo são essenciais à boa saúde.

O princípio fundamental da harmonia yin/yang é que o yang Qi deve ser conservado forte e denso para que o yin Qi possa permanecer tranqüilo e suave.
A energia vital de yin tem origem nos cinco sabores:
1) amargo – relacionado ao elemento fogo e ao coração
2) ácido - relacionado ao elemento madeira e ao fígado
3) doce – relacionado ao elemento terra e ao baço
4) salgado – relacionado ao elemento água e aos rins
5) picante – relacionado ao elemento metal e ao pulmão.

As cinco vísceras zang que armazenam a energia vital (coração, fígado, pulmão, baço e rins), podem ser atingidas pela ingestão excessiva destes mesmos cinco sabores.
Isto significa que ingerir comida ácida em demasia fará com que o fígado produza Qi em excesso, que lesa o Qi do baço. A ingestão de comida muito salgada atingirá os ossos maiores e enfraquecerá os músculos e a carne e causará depressão.
Ingerir comida muito doce em excesso causará depressão e desequilíbrio no Qi dos rins. Já a comida muito amarga privará a nutrição do baço, causando indigestão e distensão no estômago. O excesso de comida picante fará com que os músculos e o pulso fiquem frouxos e lesará o espírito.
O consumo de uma combinação harmoniosa de vários sabores de comida pode suplementar a energia vital.

Tratado do Qi das cinco vísceras zang
Segundo a medicina chinesa, cada uma das cinco vísceras zang tem sua aversão e gera um humor específico. E há cinco esforços que lesam o Qi das cinco vísceras.
O coração tem aversão ao calor, já que é suscetível às doenças por ele causadas, que lesa o sangue yin. Os pulmões têm aversão ao frio, são suscetíveis às doenças por ele causadas, já que ele afeta o Qi pulmonar, que não se difunde.
O fígado tem aversão ao vento que, em demasia dá surgimento à hipertonicidade.
O baço tem aversão à umidade, é suscetível às doenças por ela causadas, e uma umidade excessiva pode dar surgimento a abscessos que purgam. Os rins têm aversão à secura, que quando em excesso irá secar a essência yin.
Cada uma das cinco víscera gera um humor. O coração governa o sangue de onde o suor é transformado. Por esse motivo, o suor é o humor do coração.
As narinas, que geram muco, são os orifícios dos pulmões. Por isso, o muco é o humor dos pulmões. Os olhos, que engendram lágrimas, são os orifícios do fígado. Portanto, as lágrimas são o humor do fígado.
A boca que gera saliva fluida, é o orifício do baço. Portanto, a saliva fluida é o humor do baço. A língua fica entre os vasos dos rins e a saliva espessa se origina debaixo da língua. Portanto, a saliva espessa é o humor dos rins.

A diferenciação das dores
Qibo, o médico denominado Instrutor Celestial pelo Imperador Amarelo, fala da influência dos sentimentos no mal funcionamento do Qi e nas doenças que surgem como conseqüência.
De acordo com Qibo, a raiva faz o Qi descer e, nos casos mais sérios, causa vômitos de sangue ou disenteria. A alegria abranda o fluxo do Qi e dispersa-o livremente, proporcionando um Qi nutritivo e defensivo que se permeia através do corpo.
A tristeza e o desgosto causam a superexpansão dos pulmões, estagnando dessa forma o aquecedor superior. O Qi defensivo e o nutritivo não irão se dispersar, e o calor irá se acumular no peito.
O medo faz a essência do Qi descer, bloqueando o aquecedor superior. Como resultado, o Qi descerá ao aquecedor inferior, causando distensão. O calafrio bloqueia os interstícios, embaraça o fluxo do Qi nutritivo e o Qi defensivo, fazendo o Qi contrair.
O calor abre os poros permitindo ao Qi nutritivo e o Qi defensivo fluírem para fora com o suor. Portanto, o calor faz o Qi escapar. Assustar-se causa palpitação. A mente-espírito ficará desalojada e causa de apreensão prevalecerá. Portanto, assustar-se faz o Qi espalhar-se e ficar caótico.
Excesso de exercícios causa palpitações e suores. Tanto o Qi interno como o externo ultrapassarão o nível normal, causando a exaustão do Qi. Já o excesso de pensamento e obsessão faz o Qi estagnar.

Continuaremos a abordar os valiosos ensinamentos contidos na medicina chinesa num próximo artigo.


estamos online

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


Leia Também

Receita de saúde e longevidade segundo a medicina chinesa - Parte 1

Receita de saúde e longevidade segundo a medicina chinesa - Parte 3

Receita de saúde e longevidade segundo a medicina chinesa - Parte 4




elisa
Elisabeth Cavalcante é Taróloga, Astróloga, Consultora de I Ching e Terapeuta Floral.
Atende em São Paulo e para agendar uma consulta, envie um email.
Conheça o I-Ching e Faça uma consulta online
Visite o Site do Autor


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa