Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade

Autoconhecimento VII

Autoconhecimento VII
Publicado dia 20/05/2011 13:00:36 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Por que sofremos? Por que identificar o que sentimos é tão importante? Por que a opinião dos outros é tão importante para algumas pessoas? Por que não sou respeitado? Essa e outras perguntas muitas vezes insistem por respostas... Lamentavelmente o sofrimento nos causa muita dor, mas também nos faz crescer, porque quando estamos bem, nos acomodamos e dificilmente buscamos novos aprendizados. Sempre é possível aprender algo novo a respeito de si mesmo, por isso o autoconhecimento não tem fim e o assunto também não.

Ao elevarmos o conhecimento sobre quem somos, ficamos muito mais conscientes do que queremos para nós e paramos de corremos atrás daquilo que nos ensinaram que deveríamos querer, e assim, voltamos o foco para onde ele nunca deveria ter saído: dentro de nós mesmos. Não vivemos mais a mercê de outras pessoas, mendigando atenção, reconhecimento, amor, aprovação, carinho, pois aprendemos a nos nutrir com nossos próprios recursos, e estes, tenha certeza, são infinitos.

A pior situação que podemos viver é passar toda nossa existência querendo conhecer o outro, quando sequer olhamos para aquilo que está dentro de nós, alienado dos próprios sentimentos. Ou ainda, quantos passam a vida esperando pelo amor e respeito do outro, ou vivendo em função de alguém? É bom ser amado, reconhecido, aprovado, respeitado? Claro, mas isso não deve ser uma condição para ser feliz. Quantos de nós fazemos coisas completamente diferentes do que sentimos e desejamos? E com que freqüência você faz isso? Quanto você se ama e se respeita? De que maneira as pessoas te tratam? Será que a maneira que te tratam não é apenas um reflexo de como você mesmo se trata? Já pensou sobre isso? Continue sua reflexão. Você se sente constantemente desrespeitado? Outras pessoas fazem algo para você, e por você, sem te consultar? Você sabe distinguir quando está se doando ou quando está sendo explorado? Você tem consciência de seus valores e age de acordo com eles? Você tem o hábito em se colocar como vítima? Busque as respostas dentro de você, isso fará com que se conheça um pouco mais. Mas você pode pensar agora que não sabe nenhuma destas respostas, mas insisto em te dizer que elas estão dentro de você, basta que você procure, vasculhe se for o caso, e queira realmente encontrá-las.

O respeito que temos por tudo que somos e sentimos bem dentro de nosso mais profundo ser é que irá delimitar até onde o outro pode ou não chegar. Se você sente-se constantemente invadido, agredido, manipulado, criticado, desrespeitado, humilhado, já parou para pensar porque continua permitindo que te tratem assim? Será que isso ocorre por que no fundo você mesmo não se respeita? Examine seus sentimentos e atitudes e pergunte-se: “por que permito que me tratem com desconsideração, desrespeito”? Quando nos respeitamos plenamente, mostramos aos outros como eles devem nos tratar, apesar de que em algumas situações o melhor pode ser mesmo se afastar para não ser mais machucado. Se estiver sendo constantemente desrespeitado algo deve ser observado e mudado. Ou será que você está supervalorizando o outro na mesma proporção que desvaloriza a si mesmo? Você tem consciência de seu próprio valor? É isso que o autoconhecimento nos proporciona: aprender a dar valor ao ser humano que somos. Sem senso de nosso valor individual, nos sentimos diminuídos, inferiores diante do mundo. Pare também de se criticar, colocando defeito em tudo que faz, pensa, fala. E comece a perceber as qualidades que possui. Quantas pessoas já ajudou? Pare também de querer ser perfeito, isso só nos leva a exaustão e eterna cobrança.

É muito cômodo culpar os outros por qualquer desilusão ou sofrimento que passamos, não é fácil aceitar a responsabilidade pelas nossas próprias ilusões e desenganos, mas quanto não permitimos que isso aconteça? Claro que não me refiro à época em que era criança e não sabia como se defender, mas agora adulto, você pode e deve aprender a cuidar de si mesmo. Quando renunciamos a nós mesmos, com toda certeza outras pessoas tomarão conta de nossa vida. Quando autorizamos aos outros a determinar o quanto valemos, uma sensação de vazio toma conta de nossa alma, aumentando ainda mais nossa necessidade constante de aprovação, reconhecimento e em conseqüência, mais sofrimento. Para evitar que isso aconteça, retome a responsabilidade de sua vida para você. Torne-se independente em todas as áreas de sua vida, mesmo que a princípio você possa pensar que isso seja impossível. Pode ser difícil, mas nada, nada mesmo é impossível.

Conforme nos conhecemos, não ficamos mais a mercê das opiniões do que pensam ou dizem de nós e muito menos nos deixamos ser manipulados. Afinal, cobranças, críticas, indelicadezas, insensibilidade, agressividade, desrespeito, desinteresse, essas pequenas faltas cometidas no dia a dia podem destruir as mais antigas e afetuosas convivências, comprometendo principalmente o sentimento que temos por nós mesmos. Assim sendo, procure colocar limites ou se afaste de quem o trata dessa maneira.

Muitos podem perguntar por que é tão difícil identificar os próprios sentimentos, e a resposta é que fomos educados a reprimir o que sentimos, ouvindo por muitos anos que não devemos chorar, expressar as emoções, nos ensinando, e condicionando, que toda expressão de sentimento e afeto é errado, sinônimo de fraqueza, e quando nos deparamos com nossas necessidades emocionais, sequer sabemos como identificá-las e como supri-las.

O assunto sobre autoconhecimento é amplo e complexo, principalmente por envolver aspectos inconscientes. Mas é importante salientar que autoconhecimento requer muito diálogo interno, seja para identificar nossas crenças, as máscaras que foram criadas para nos proteger, a compreensão da sombra, para depois sim conseguirmos encontrar nosso self, o verdadeiro eu, aquilo que somos em essência, e que sempre é muito melhor daquela pessoa que nos fizeram acreditar que somos. Mas para atingirmos este estágio é preciso comprometimento em querer realmente se conhecer, sem medos, resistências, boicotes, para que possamos atingir um estágio de paz e harmonia interna que todos ansiamos. Enfim, o autoconhecimento é a base primordial para alcançarmos a verdadeira sabedoria. E quanto mais descobrimos sobre nós mesmos, percebemos o quanto ainda temos a descobrir! Permita que essa viagem para dentro de si mesmo seja sua maior e rica aventura!


por Rosemeire Zago

Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   horoscopo


Leia Também

Autoconhecimento I: Você se conhece?

Autoconhecimento II

Autoconhecimento III

Autoconhecimento IV

Autoconhecimento V

Autoconhecimento VI

Autoconhecimento VIII


Obrigado por votar

O artigo recebeu 1 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp

Sobre o autor
Rosemeire Zago é psicóloga clínica CRP 06/36.933-0, com abordagem junguiana e especialização em Psicossomática. Estudiosa de Alice Miller e Jung, aprofundou-se no ensaio: `A Psicologia do Arquétipo da Criança Interior´ – 1940.
A base de seu trabalho no atendimento individual de adultos é o resgate da autoestima e amor-próprio, com experiência no processo de reencontrar e cuidar da criança que foi vítima de abuso físico, psicológico e/ou sexual, e ainda hoje contamina a vida do adulto com suas dores.
Visite seu Site e minha Fan page no Facebook.
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor







Energia do Dia
Justiça. O dia pede bom julgamento e honestidade. Dê o máximo de si em qualquer situação, tome a direção dos negócios e proceda de maneira segura e eficiente.
Faça sua numerologia

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa